Resenha: Para Todos Os Garotos Que Já Amei | Jenny Han

Para Todos os Garotos que Já Amei
Título: Para Todos Os Garotos Que Já Amei
Autor:  Jenny Han 
Editora: Intrínseca                              
Número de páginas: 320
Classificação:  
Sinopse: Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

                                                                        Resenha
Se o amor é como uma possessão, talvez minhas cartas sejam como meu exorcismo. Minhas cartas me libertam. Ou pelo menos, deveriam.

 Ah, e é com essa frase que começo esta resenha. Lara Jean foi uma personagem que cativou no primeiro momento. Sua escrita madura, e crítica sobre seus amores, ao mesmo tempo, era doce e ainda sim, feita por uma adolescente insegura. Durante o livro, e as cartas, realmente mostra toda evolução e amadurecimento da personagem.

Ela vivia sempre na sombra de Margot,e confesso,soa bastante irritante.Todas as suas ações começam a ser repensadas por causa da memória e responsabilidade que ela deixou.Mas é tão injusto com Lara,que também vem tentando suprir a perda da sua mãe.Ela não poderia ser um pouco mais egoísta, e começar a resolver suas próprias coisas sem pensar na irmã.

Com toda a confusão das cartas enviadas para garotos que já amou, parece que ela realmente começa a tomar decisões por si mesma.E ainda encontramos Chris, sua amiga, que representa seu lado rebelde- existente, mesmo que não pareça- e que a faz pensar em toda curtição do Ensino Médio. E de outro lado, Kitty, que nada mais que uma versão mais irritada de Lara, e representativa, do seu lado ainda criança.

 A leitura é feita com muita fluidez e bem gostosa de ler. Lara conta sua história em primeira pessoa, o que deixa a sensação de que estamos lendo um monte de confissões.
Apesar de parecer que é clichê, de nenhuma maneira foi algo que já se esperava, todo o romance, e o drama encontrado no livro foi feito com naturalidade, mas nada que deixasse o leitor entediado. E ainda sim, deixa sempre o gostinho de quero mais.

O livro ganha continuação intitulada "PS: I still loving you", Inclusive, li este em inglês, é uma boa pedida pra quem não tem o inglês tão avançado, e não conhece as gírias americanas.

4 comentários:

  1. Já era um livro que eu gostaria de ler, depois desta resenha então, só aumentou! rs
    Beijos!
    http://achadosandcomprados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Preciso ler urgentemente!hehe

    http://www.livros-etudomais.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, tá aí uma coisa que eu sempre quis fazer: falar tudo o que não foi dito pra todos os caras do meu passado. Hoje em dia eu jogo na cara mesmo e não to nem aí, acho melhor do que ficar guardado por medo ou por joguinho, não tenho mais paciência pra essas coisas. Gosta de mim? Então fale ou demonstre, não fico mais nos "e se". Os que fazem isso eu já descarto logo hahaha

    Enfim, acho que vou ler esse livro em inglês.

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo falando tão bem desse livro... #preciso

    www.maisumleitor.com

    ResponderExcluir