Resenha: O Doutrinador - Luciano Cunha

Título: O Doutrinador
Roteiro e Arte: Luciano Cunha
Gênero: Ficção/Política
Editora: Redbox
Ano: 2013
Páginas: 84
Classificação:

Sinopse

"Um super soldado num país sem guerras… E vem a revolta, a indignação. Ele ganha as ruas e inicia sua missão: aniquilar os corruptos que sugam nosso país. Ele é adorado. Ele é perseguido. Mas este homem tem um propósito, um milagre a conceber. Ninguém será poupado." - O Doutrinador.

Resenha


“Sou um eterno refém da minha indignação...”

Todo dia algum caso de corrupção está em destaque nos noticiários e é praticamente impossível, não ter na ponta da língua pelo menos um nome de político relacionado aos esquemas de desvios de dinheiro. Em O Doutrinador, o leitor sente que seu grito abafado de indignação foi solto. O plano de fundo dessa história, é uma nação cheia de problemas sociais e dominada pela elite política corrupta, que se utiliza das brechas da lei e de seu poder no governo, para tirar proveito da sociedade. Muito familiar? Pois bem... A HQ é um retrato do que vivenciamos, da nossa sociedade, dos nossos problemas. Aliás, você perceberá a "sutil" semelhança de muitos dos personagens com as personalidades públicas que conhecemos. O protagonista da história é um super soldado que resolve acabar com a podridão no Governo, aniquilando os envolvidos. Sem piedade. Mesmo sendo perseguido, ele tem um objetivo e nada vai impedi-lo.

O Doutrinador - página 18.

Só imagine nosso país em um Universo Paralelo com esse anti-herói. A obra é pura ficção e não quer incentivar a violência, trazendo consigo reflexões sobre a situação do Brasil para o leitor. No quadrinho, acompanhamos as atitudes radicais do protagonista e no ele que acredita. Devido a seus ataques, o vigilante mascarado se torna assunto nos jornais televisivos e é nomeado Doutrinador. A população se sente representada com alguém que resolveu bater de frente e acabar com a roubalheira, dando assim esperança ao povo.

Sabemos que a mídia brasileira tende a ser parcial, sensacionalista e deixa para seu público “argumentações” e “generalizações” prontas. Um dos pontos altos do quadrinho é justamente a representação desse tipo de mídia, não deixando de criticar os nossos noticiários.

“Errei em achar que a simbologia de explodir o Congresso faria alguma diferença… Quando se tem uma dúzia de pessoas controlando a mídia de toda uma nação, a palavra democracia se torna, na maioria das vezes, uma mera etiqueta. Por isso, como aqui um escândalo abafa outro, muita gente esqueceu que o Congresso tinha sofrido um atentado...” - O Doutrinador, pág. 42.
Imagem retirada da página oficial no Facebook
O Doutrinador é mais que um homem sendo violento, se vingando. É uma história que passa mensagens que são como um murro no estômago do leitor. O vigilante e suas atitudes me lembram o personagem dos quadrinhos Frank Castle (O Justiceiro da Marvel). Mesmo com elementos semelhantes à realidade, o quadrinho é mera ficção e deve ser vista como tal. As mensagens que o personagem transmite nos traz reflexões sobre a nossa estagnação social. Enquanto nos preocupamos em discutir nas redes sociais sobre falsas ideologias, argumentações rasas ou definições de direita ou esquerda, temos que lembrar que na corrupção não existe isso de lado e ela vai continuar ativa. Penso que se a corrupção é ou não o resultado da cultura do jeitinho, só nos cabe mudar esse cenário. Os desenhos e roteiro são de Luciano Cunha, que traz uma excelente obra que também possui extras onde ele conta algumas curiosidades quanto ao desenvolvimento, criação do personagem, etc. O quadrinho possui outras duas edições e também vai ganhar adaptação para filme, série, board game e um app!

“Eu continuo aqui lutando essa guerra sozinho… Não tenho mais paciência para procurar por paz de espírito… Todo dia um novo escândalo de corrupção me torna mais frio…” - O Doutrinador, página 40
Para ficar por dentro de novidades e de edições para comprar, recomendo que acessem a página do Facebook da HQ. E se você já leu V de Vingança do icônico Alan Moore e David Lloyd, recomendo a leitura de O Doutrinador, pois te trará um certo conforto literário.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário