Resenha: De Repente, Ana | Marina Carvalho


Título: De repente, Ana
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novas página - Novo Conceito
Número de páginas: 320
Classificação: 


Sinopse 


Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste.
Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação.
Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama. Muita gente está interessada no seu fracasso.

 Resenha



No segundo livro da história da Ana, Marina Carvalho mostra pra gente como está sendo a vida da protagonista na terra em que ela é princesa.

Como eu falei com vocês quando fiz o comentário do livro Simplesmente Ana, a Ana parecia mais uma Mia Thermopolis, mas nesse não. A Ana tem personalidade própria, bem brasileira e bem teimosa.

Mesmo vivendo permanentemente na Krósvia e cumprindo todos os deveres que uma princesa deve cumprir, Ana acabou não se interessando pelas questões políticas do país e quando o seu pai sofre um grave acidente ela tem que assumir as atividades dele e se esquivar de algumas coisas bem estranhas que acontecem no caminho.

Além de tudo isso, Ana ainda volta a ter que conviver com o ciúme da ex de seu namorado, o que não ajuda muito em sua sanidade mental quando ela tem que cuidar de um país.

Bom, assim como em outros livros de romance que tem continuação, eu sempre tenho medo que seja uma grande perda de tempo ler. Como se o autor só quisesse ganhar dinheiro, sabe? 

Tive essa mesma sensação quando peguei Encontrada da Carina Rissi para ler e, como na continuação de Perdida, eu estava enganada. 

O livro é bom sim e tem uma história para contar. Claro que se você quiser parar em Simplesmente Ana, não terá lido a história pela metade. Mas, recomendo que leia De repente, Ana também, claro.

O que eu quero dizer é que vale a leitura. O jeito divertido e próximo do leitor que a Marina escreve deixa o livro mais interessante como se estivéssemos participando da história.

Gostei bastante do livro e já quero ler os novos projetos que a Marina tem por lançar.

E vocês? Ja leram? O que acharam?


por Odyle Torres

0 comentários:

Deixe seu comentário