Resenha: Kriguerkan - O braço direito do rei | Wesley Nunes


Título: Kriguerkan, o braço direito do rei.
Autor: Wesley Nunes
Editora: Publicação independente
Número de páginas: 356
Classificação: ★ ★ ★

Sinopse

Kriguerkan - Em um mundo conhecido como a terra de todos os deuses, é dado a um homem comum um reino perfeito, que só pode ser batizado com o nome de Paraíso. Este rei, conhecedor de sua própria velhice, decide passar o seu reino. Seus dois filhos, Gautz e Grifith, já se imaginam no lugar do pai. O rei usa sua criatividade, combinada com sua esquisitice para criar um desafio único. “Ele decide entregar o seu reino para quem lhe trouxer o melão que mais lhe agradar”. E todos no reino podem participar, desde o bobo da corte até os seus filhos.

Mas como? Um paraíso será dado de bom grado a alguém que simplesmente lhe entregar um melão? Isso é só o início das aventuras e dos mistérios que envolvem Kriguerkan, este reino místico concebido de forma inigualável e rodeado de grandes guerreiros e incríveis histórias.
É nomeado um novo rei e, como sua primeira atitude, ele decide realizar um desafio para compensar uma grande perda que o Paraíso tinha tido.
Para este desafio, chamado “Quem será o braço direito do rei?”, foram convocados guerreiros de todas as nações em toda a terra de todos os deuses. Cada guerreiro tinha uma personalidade singular, um objetivo em mente, e habilidades especiais e inimagináveis, em uma competição da qual nenhum homem jamais sonhou participar.
Os participantes são: o herói das terras gélidas, um gatuno mais rápido que o próprio vento, um lutador sem nome e sem memória, um velho guerreiro e ferreiro que já sobreviveu por mais de mil batalhas, um nobre exibido e arrogante, um bêbado, um imenso homem de comportamento doentio, um guerreiro misterioso, quieto em uma armadura, e um estranho guerreiro que alterna vários comportamentos e personalidades.
O final deste desafio é imprevisível. Só há um meio de descobrir qual é: leia Kriguerkan.
Resenha

Hei, people! Mais resenha nacional por aqui \o/

Já que a sinopse conta boa parte do enredo, vou me ater a minha experiência de leitura.

Começo falando sobre o início do livro mesmo, no qual a escolha do novo rei acontece super rápido. É meio que um conto dentro do livro, uma introdução. É super legal, tem uma metáfora bem simples, mas muito bonita. E depois de escolhido o novo rei, vamos descobrindo mais sobre Paraíso, que é realmente uma utopia :p Mas enfiiiim.

Wesley foi muito, muito feliz no tipo de escrita que escolheu, Tanto demonstra um ótimo domínio de vocabulário quanto de manutenção da narrativa. O enredo é muito bom, dinâmico na maioria das partes e divertido demais!

A leitura é leve, tão leve que recebi o livro na Segunda-Feira e acabei hoje. É super tranquilo de ler e bem interessante. Ouso dizer que o autor difere de todos os outros autores brasileiros que já li, por dar um ar complexo e ao mesmo tempo simples e engraçado a uma fantasia com tons infantis, mas que agrada a adultos também. Algumas coisas acontecem rápido demais, já outras se arrastam. Dá uma diminuída na fluidez, mas ainda é satisfatória.

Há um bom aproveitamento dos personagens, apesar de alguns sumiços inexplicados. No geral, fiquei satisfeita com a história. Não posso dizer que virou um favorito, mas Wesley certamente tá no caminho certo. Kriguerkan merece seu lugar ao Sol.

Sobre o exemplar: vou considerar que esta é uma publicação independente e acho muito corajosos os autores que seguem lutando para divulgar suas obras, tirando do próprio bolso para que a publicação seja realidade. Então, a edição tem vários erros, de formatação, de impressão, de digitação e tal, mas cara... não atrapalha a leitura de forma alguma, então tá tranquilo.

E essa capa, hein? Muito fofa! Dá aquele ar de comédia. Desenho muito bom. Super curti ela.

Enfim, pra quem gosta de fantasia, humor, guerreiros e monarquia, Kriguerkan é um prato cheio.

2 comentários:

  1. Feliz.

    Como não se sentir feliz depois de ler essa resenha. É uma sensação de dever cumprido, que fica passando pela cabeça e o sorriso vem fácil. O trabalho não terminou, posso até dizer que só está começando. Mas não existe trilha melhor para caminhar, do que aquela que cada leitor deixa quando termina a sua obra.

    Só tenho que agradecer pelo espaço oferecido pelo blog clube da meia noite e um abraço especial para Grazi Souza. Desejo sucesso a todos.

    Faço um convite, para quem se interessar é claro, de conhecer a pagina de Kriguerkan no facebook. Realizo diversos sorteios de exemplares por lá.

    https://www.facebook.com/Kriguerkan

    ResponderExcluir
  2. Adoreeei. Conheço a obra e concordo com tudo que foi dito. É difícil um livro agradar a crianças e adultos, mas o kriguerkan consegue isso. Existem lutas emocionantes, personagens incríveis e um rei muito astuto e divertido. Tem um ar de inocência e diversão por todo o livro e por trás de cada ação do rei, existe uma lição e isso deixa o livro muuuito mais interessante. Recomendo muito!!!!

    ResponderExcluir