Resenha: Algemas de Seda | Frank Baldwin




Título: Algemas de Seda
Autor: Frank Baldwin
Editora: Geração
Número de páginas : 316
Classificação : ★ ★ 


Sinopse:

Mimi Lessing está noiva do homem que ama, quando seu colega de trabalho, o irresistível Jake Teller, desperta a sua curiosidade e interesse. Disposto a seduzi-la, Jake a convida a assistir, sem ser vista, aos jogos eróticos dele com suas parceiras, a quem leva ao êxtase sexual por meio da dor. Então, as mulheres com quem Jake dormiu começam a ser assassinadas, e a própria Mimi desaparece. Homens e mulheres não deixarão a leitura deste thriller erótico e absorvente até a última página, para a qual se caminha num clima de sensualidade e suspense eletrizantes.



Resenha:

            
Um título marcante, uma capa instigante e uma promessa: ser mais intenso que 50 tons de cinza. Estes são os três atrativos que podem lhe fazer querer ler Algemas de Seda. Porém a história de Jake Teller e Mimi Lessing esteve longe de cumprir minhas altas expectativas.
O incrível desse livro é que, mesmo se você não estiver gostando da leitura, não será capaz de parar de ler. Ele é realmente bem escrito e a promessa de suspense prende do início ao fim, porém o romance possui algumas ressalvas que não podem deixar de ser comentadas.
A história está o tempo todo girando sobre Jake ou Mimi, ou seja, quaisquer outros personagens são ofuscados pelos protagonistas. Um exemplo é o noivo de Mimi, que tinha tudo para ser uma peça importante no enredo (se ele não ficasse esquecido por vários capítulos...).
Outro ponto é a sensação de estarmos sempre pulando de uma transa entre Jake e uma de suas parceiras qualquer para outra. O que se passa no curto período de tempo entre uma relação sexual e outra acaba ficando perdido e um pouco sem sentido, já que o suspense efetivo só engata da metade do livro para o final.

A promessa de ser mais intenso que 50 tons só é cumprida se observarmos puramente pelo lado físico da coisa. A descrição do sexo pode até ser bastante realista, mas não tem a carga emocional necessária pra envolver o leitor como Christian Gray teve o poder de fazer.

Por fim, o que mais me incomoda nesse livro é a indefinição do envolvimento entre Jake e Mimi. A relação entre eles fica sempre suspensa no ar, impulsionando o leitor a recorrer à sua própria imaginação e a avançar as páginas para saber o desfecho da dupla. 


                                       

0 comentários:

Deixe seu comentário