RESENHA: CIDADES DE PAPEL | JOHN GREEN


Título: Cidades de Papel
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Número de páginas : 368
Classificação : ★ ★ ★ 

Sinopse: 

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 

Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.



Resenha: 

Cidades de Papel (Paper Towns) é o quinto romance publicado por John Green, cada vez mais o autor vem se destacando no gênero “YA” (Young Adult / jovem adulto). Após a dramática história de Hazel Grace e Augustus Waters em ‘A Culpa É Das Estrelas’, Green agora nos oferece uma premissa de aventura e mistério.

Dessa vez, nós teremos uma perspectiva masculina da história, o livro é narrado em primeira pessoa por Quentin Jacobsen, também conhecido como “Q”. Green irá investir no amor entre os opostos, o nerd e a garota popular do colégio. 

“Na minha opinião, todo mundo tem seu milagre. Meu milagre foi o seguinte: de todas as casas em todos os condados da Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman”.

Logo no início da narrativa o autor expõe características individuais dos personagens que nos permite enxergar o quanto são diferentes. Na primeira cena, Quentin e Margo ainda crianças, encontram o corpo de um homem no parque do bairro onde moram. Margo é destemida, quer investigar a causa da morte, cria hipóteses enquanto analisa o corpo. Quentin fica assustado e quer logo fugir dali. Cria-se um “hiato” na relação deles desde então.

Anos depois, ambos os personagens estão no último ano do ensino médio. Margo namora o garoto mais cobiçado do colégio e pertence ao grupo dos populares. Quentin tem dois grandes amigos, Ben e Radar, eles serão o alívio cômico da história que irá contrastar com a obsessão de Q por Margo. Ben, deseja namorar uma das garotas populares; Radar, é dono de um site de busca e seus pais são colecionadores de artigos bem estranhos.

Certa noite, Margo invade o quarto de Q e convida-o para uma missão. Durante a aventura noturna, tomaremos conhecimento de uma enorme inquietação e angústia da protagonista. No dia seguinte ninguém sabe do paradeiro de Margo Spiegelman. 


“Margo sempre adorou um mistério. Talvez ela gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um".


Cidades de Papel é um relato bem humorado sobre a adolescência, destaca dúvidas e conflitos de um período de transição entre a infância e a fase adulta. Alguns temas muito pertinentes são abordados, dentre eles, família, identidade, relações amorosas e amizade.

O sobrenome Spielgelman, dado a Margo, é de origem alemã, significa “fabricante de espelhos”. Em uma entrevista John Green disse: 

“Quando as pessoas olham para ela, não vêem nada de Margo de verdade, mas sim o reflexo de si mesmas em um labirinto de espelhos”.

Através de uma linguagem metafórica, Green questiona o quanto conhecemos as pessoas e o quanto supervalorizamos as aparências. Determina o momento de ruptura entre o que pensam de mim e o que realmente sou.

O livro apresenta uma escrita fácil, está bem diagramado, o que favorece uma leitura rápida. Recomendo aos futuros leitores que não se deixem levar pela ansiedade de saber o final, desfrutem de cada passo de Quentin e seus amigos na busca por Margo. Oponho-me a alguns leitores, achei a conclusão da história muito pertinente e condizente com o contexto apresentado.

Boa leitura!!!



Cidades de Papel terá adaptação cinematográfica que está prevista para estrear no Brasil dia 9 de julho de 2015. Confira o trailer:











                          






1 comentários:

  1. Adorei sua resenha. Li esse livro já tem um tempo. Ansiosa pelo filme.
    Já emprestei o livro pra uma amiga ler e ela disse que está adorando tbm.

    http://talento-feminino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir