Resenha: Bela Maldade | Rebecca James


Título: Bela Maldade
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 304
Classificação: ★ ★ ★ ★

Sinopse:
Bela Maldade - Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato.
Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade.
No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel.
Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...



Resenha:
Sabe aquela vontade de pegar o personagem do livro e dar uma surra nele? É dessa forma que me senti lendo este livro!
A história é narrada com Katherine com o passado que ela tenta esquecer, a convivência com Alice e sua vida atual.
Já de inicio na primeira página do livro, se pode ver o tamanho do estrago que Alice “amiga” de Katherine deixou para trás.
Alice é uma garota muito perversa. Não aceita a felicidade dos outros.

“... Só consigo olhar para os olhos de Alice. Eles são frios, avaliadores, e as pupilas, tão dilatadas, que tudo o que posso ver é escuridão. Dura e inflexível. Profunda. Implacável. Ali, só há trevas.”

Katherine tenta mudar sua vida em outra cidade depois que sua irmã foi assassinada anos atrás e ela se sente culpada pela morte dela. Então Katherine começa uma intensa amizade com Alice, uma garota que á conheceu na cidade, e que não de desgrudam uma da outra por alguns meses. Mas tudo isso muda quando Alice se revela uma megera. A garota começa a mostrar sua verdadeira identidade.


“Ninguém é de fato inteiramente bom. Pelo menos é o que eu acho. Tentar ser bom, ou ao menos tentar não ser mau, provavelmente é o mais perto que conseguimos chegar.”


Eu gostei muito de como a autora começou o livro já identificando o destino de Alice, deixando nós leitores mais ansiosos de como tudo isso aconteceu, pois Alice começa a amizade com Katherine com muita compaixão e logo depois já se mostra outra pessoa.
Apesar de eu querer tacar o livro de raiva pela janela, não pude deixar de gostar muito de amar o livro. Recomendo muito.

0 comentários:

Deixe seu comentário