Resenha: 2001 – Uma Odisseia no Espaço | Arthur C. Clarke


Título: 2001 – Uma Odisseia no Espaço
Autor: Arthur C. Clarke
Editora: Aleph
Número de páginas: 330
Classificação: ★★★★
Sinopse: No alvorecer da humanidade, a fome e os predadores já ameaçavam de extinção a incipiente espécie humana. Até que a chegada de um objeto impossível, além da compreensão das mentes limitadas do homem pré-histórico, prenunciasse o caminho da evolução. Milhões de anos depois, a descoberta de um enigmático monólito soterrado na Lua deixa os cientistas perplexos. Para investigar esse mistério, a Terra envia para o espaço uma nave tripulada por uma equipe altamente treinada, assistida por um computador autoconsciente. Do passado distante ao ano de 2001, da África a Júpiter, dos homens-macacos à inteligência artificial HAL 9000, penetre a visão de um futuro que poderia ter sido, uma sofisticada alegoria sobre a história do mundo idealizada pela mente brilhante de Arthur C. Clarke e imortalizada nas telas do cinema por Stanley Kubrick.

– Resenha –
Sou extremamente fã do trabalho de Stanley Kubrick. Somente por ele fui atrás dos exemplares de Laranja Mecânica, O Iluminado e 2001, sendo importante ressaltar sobre a sua adaptação: livro e filme tiveram lançamento simultâneo, onde o livro conta mais detalhes da história e o filme cria uma aura de mistério. Acho importante (não falo isso como fã do diretor) o contato com o filme, pois é uma forma de conseguir entender muitos elementos no livro.





















O livro tem três tipos de relatos, todos associados ao monólito (figura importante em toda a história).
   1. Homens macacos;
   2. Uma suposta epidemia na lua;
   3. Uma equipe de expedição para Saturno.
A história se estende pela expedição à Saturno, onde os astronautas Bowman, Poole, Hunter, Whitehead e Kaminski estão a bordo da nave Discovery para mapear e estudar o planeta. O sistema utilizado pela nave é o HAL 9000, a última geração de computador já criada pelo homem. Seguindo suas rotinas diárias, Bowman e Poole (únicos astronautas acordados da nave, enquanto outros três estão em hibernação) atingem Júpiter, quando uma falha em uma das unidades que mantém contato com a Terra é reportado. Depois de consertado, a unidade apresente uma segunda falha, e é a partir daí que o problema de verdade realmente começa. 

   O livro abrange um universo que vai muito além da mente humana, complexo e puramente imaginário até então. Apesar de incrivelmente escrito, achei a narrativa complicada, com descrições de cena que só mesmo o filme poderia explicar.
   A editora criou dessa vez uma edição especial, com uma pequena caixa (com o olho de HAL na capa) onde o livro (negro como o monólito) pode ser colocado.  Simples e ao mesmo tempo muito bem trabalhado. Como extras, podem ser lidos dois contos do autor, intitulados de "A Sentinela" e "Encontro ao Alvorecer", essenciais para a criação do livro. A edição também consta com uma carta para Kubrick, que morreu sem presenciar o ano de 2001.
   Obs: HAL 9000 é considerado, segundo a American Film Institute, o décimo terceiro maior vilão do cinema.

– Quote –
"– Lamento interromper as festividades – disse Hal , mas temos um problema."
Página 162.

0 comentários:

Deixe seu comentário