Resenha: O Guardião de Memórias | Kim Edwards


Título: O Guardião de Memórias
Autor: Kim Edwards
Editora: Sextante
Número de páginas: 361
Classificação: 
   

Sinopse

“Com mais de três milhões de exemplares vendidos nos Estados Unidos, O Guardião de Memórias é uma fascinante história sobre vidas paralelas, famílias separadas pelo destino, segredos do passado e o infinito poder do amor verdadeiro. Inverno de 1964. Uma violenta tempestade de neve obriga o Dr. David Henry a fazer o parto de seus filhos gêmeos. O menino, primeiro a nascer, é perfeitamente saudável, mas o médico logo reconhece na menina sinais da síndrome de Down. Guiado por um impulso irrefreável e por dolorosas lembranças do passado, Dr. Henry toma uma decisão que mudará para sempre a vida de todos e o assombrará até a morte: ele pede que sua enfermeira, Caroline, entregue a criança para adoção e diz à esposa que a menina não sobreviveu. Tocada pela fragilidade do bebê, Caroline decide sair da cidade e criar Phoebe como sua própria filha. E Norah, a mãe, jamais consegue se recuperar do imenso vazio causado pela ausência da menina. A partir daí, uma intrincada trama de segredos, mentiras e traições se desenrola, abrindo feridas que nem o tempo será capaz de curar. A força deste livro não está apenas em sua construção bem amarrada ou no realismo de seus personagens, mas, principalmente, na sua capacidade de envolver o leitor da primeira à última página. Com uma trama tensa e cheia de surpresas, O Guardião de Memórias vai emocionar e mostrar o profundo - e às vezes irreversível - poder de nossas escolhas.”



Resenha

Ganhei esse livro há muito tempo, e confesso que nunca me interessou muito. Eu tinha outros livros para ler e quando li a contra capa de O Guardião de Memórias, pensei que esse era o tipo de livro que eu poderia ler apenas com vinte anos. Mas ao que parece, os tempos de tédio chegaram e ele foi o que tinha. Não posso dizer que é o melhor livro que eu li, afinal, não é o meu tipo preferido de literatura, mas com certeza não me esquecerei da história.
Tudo começa com decisões. Norah e David estão casados há um ano e vão ter um bebê. Naquela época, 1964, não existia ultrassonografia, e eles não podiam prever o que estava por vir. 

" – Quando voltarmos, traremos nosso bebê conosco – disse. – Nosso mundo nunca mais será o mesmo."

Gêmeos. Sim, um casal. Então David, médico e o mesmo que fez o parto de sua mulher, recebeu de braços abertos seu primeiro filho, menino, lindo e saudável. E logo depois, sua filha, tão linda e frágil, que nascera com síndrome de Down. David então, lembrando de seu passado triste e sofrido, decide que a melhor coisa a fazer é mentir para a sua mulher e tirar aquela criança de suas vidas, para que o casal não tenha os mesmos problemas que ele passara.
E então a história se torna emocionante. Claro, não vou contar o que aconteceu, pois aí é que está o mistério. O livro poderia não ter nada demais, nada que me atraísse, se não fosse o fato de que é tão real. Tão profundo. Tão tocante. Os personagens são únicos e com várias formas de pensar, criando intrigas e cenas de tirar o fôlego. E o final... Algo que era esperado, e ao mesmo tempo não era, deixa tudo ainda mais... Certo.

Toda a história me fez pensar, ver que algumas decisões são mais irreparáveis do que outras. E aqui vai uma pergunta: O que você faria no lugar de David McCallister? Com certeza esse livro vai te ajudar a responder.                       



3 comentários:

  1. Oi Jady,

    Eu tô como vc estava, tenho este livro há bastante tempo e nunca me chamou tanta atenção para ler... A sinopse é bem bacana, adorei a sua resenha! Vou dar uma chance ao livro, pareceu ter uma história bem emocionante.

    Bjs!
    CarinaPilar.com | ...e a paixão pelos livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carina!
      Esse livro é realmente bem emocionante, e tem uma história de aprendizado bem bacana, você vai gostar, tenho certeza. :D

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir