Resenha: A Menina Submersa - Memórias | Caitlín R. Kiernan

Título: A Menina Submersa – Memórias
Autor: Caitlín R. Kiernan
Editora: DarkSide Books
Número de páginas: 320
Classificação: ★★★★
Sinopse: ‘A Menina Submersa – Memórias’ é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.


Resenha

Pensei em diversas formas de expor minha opinião sobre este livro, mas nenhuma me pareceu à altura. Eu não costumo me sentir assim após uma leitura, mas A Menina Submersa causou esse efeito em mim. Este foi um dos livros mais difíceis que já li e digo isso pela história. É um livro dentro do outro.  Foi também, o livro mais lindo que já comprei. Aliás, DarkSide Books está de parabéns, não tem como não desejar essa edição maravilhosa de capa dura em alto-relevo. Está tudo fantástico. 
A Menina Submersa é narrado em primeira pessoa por India Morgan Phelps, ou simplesmente Imp, uma jovem esquizofrênica de 24 anos, com Transtorno Obsessivo Compulsivo. Ela aceita sua condição, já que isso foi transferido como uma herança em sua família: sua mãe e sua avó eram esquizofrênicas e ambas cometeram suicídio. Isso a persegue e ela tenta fugir desse destino. As duas são citadas por India em boa parte do tempo. A esquizofrenia é uma doença psiquiátrica, caracterizada pela perda de contato com a realidade. Dá para perceber a complexidade do universo no qual o leitor é jogado? 

Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagadas pelo tempo.

Imp é, no mínimo, excêntrica. Apaixonada por arte, não assiste TV, as músicas que conhece são as que sua mãe ouvia e tem uma rotina sistemática. Isso até remexer umas caixas que encontra na rua e conhecer Abalyn, a dona delas. Abalyn, uma mulher transexual, que ganha a vida escrevendo resenhas sobre jogos e foi expulsa de casa pela namorada. Imp a convida para ir até seu apartamento e as duas desenvolvem um relacionamento amoroso a partir daí. Embora diferentes, elas se entendem e parecem completar uma à outra, já que Abalyn passa a ser o equilíbrio em toda a desarmonia de Imp.

Uma noite, Imp decide sair de carro e se depara com uma mulher nua e molhada na estrada, Eva Canning. Uma sereia, um lobo. Ela não só socorre a mulher, como também a leva para casa com ela, deixando Abalyn transtornada. E é aí que tudo desanda de vez. Imp torna-se decidida a descobrir e entender Eva, que passa a invadir seus sonhos, sua vida. Ou isso seria fruto de sua imaginação?

"Imp...(...) Você tem o hábito de trazer estranhos que encontra ao lado da estrada para casa?" "Não foi assim que te encontrei?" - retruquei.

 O fato é que, Imp escreve uma história, uma história sobre fantasmas, contando suas memórias. Memórias essas que não sabemos se são verdadeiras ou não. Conhecemos seu fascínio por um quadro chamado A Menina Submersa, que fora apresentado a ela na infância e ela nunca o esqueceu. Muito da história gira em torno desse objeto. Algumas vezes, ela deixa claro que mentiu em algum ponto de sua narrativa, mas na maioria das vezes, não temos essa certeza. Isso, somado ao relato não-linear, pode ser um problema para quem não está acostumado. Eu mesma estranhei, larguei, guardei, voltei a ler e guardei outra vez, até não conseguir larga mais. Sim, demorou um pouco pra eu me apegar à obra.

Claro que eu nunca conheci uma pessoa inocente. No fim das contas, todo mundo machuca alguém, por mais que tente não machucar.

A autora bombardeia o leitor com referências musicais, artísticas, literárias e trata desses assuntos com muita convicção. Então, descobrimos que grande parte dessas referências era ficcional. Os personagens são incrivelmente bem construídos e a Imp me encantou de uma forma, que não sei se consigo descrever. Sua personalidade, sua visão de mundo...Era como se eu pudesse vê-la escrevendo, tentando resgatar cada ponto de sua memória falha. Era como se a acompanhasse em tudo, tamanho foi o envolvimento com a trama. Ela narra de uma forma que nos faz sentir íntimos dela, não parece em nada uma ficção. Meu livro está todo marcado a lápis, porque eram tantos pensamentos, tantas frases, tantas perspectivas diferentes, que não dava pra deixar passar. 

“Faça o que te interessa e pelo menos uma pessoa vai ficar feliz.”

Não consigo encaixar A Menina Submersa em apenas um gênero, ele se enquadra em vários. Não espere algo simples, não espere mais uma história para passar o tempo. É algo intenso, complexo e que não dá pra ser digerido rapidamente. Realmente, ninguém escreve com Caitlín.













Comente com o Facebook:

13 comentários:

  1. Oi Linda ^^
    Eu nunca me encontrei tão apaixonada por um capa de livro como ''A Menina Submersa" e simplesmente fantástica!sempre soube do sucesso que este livro casou eu como fã do Gênero de terror, sempre tive curiosidade de Lelo! estou sem palavras quanto a sua Resenha! ela me impressionou de tal forma que compraria o livro agora se pudesse!fantástica esta de parabéns!me conquistou HAHAHAHA não vejo a hora de compra-lo
    Beijos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, fico feliz que tenha gostado da resenha!
      Essa edição é maravilhosa, não tem como não se apaixonar mesmo.
      Espero que consiga logo o teu!
      Beijos

      Excluir
  2. Menina, poxa esse livro como você disse parece mesmo intenso e sem alguma palavra única que possa descrevê-lo. Poxa mexeu mesmo com você hein? Gosto de livros assim que nos tiram do "eixo" rs.

    Ele parece ser diferente de tudo o que já lemos por ai, com certeza o clichê passa bem longe, vou add ele na minha lista porque ele realmente atrai nossa atenção.

    Sua resenha conseguiu passar sim o que o livro te fez sentir e isso é muito bom.

    Beijos
    Fer
    http://www.matoporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, Fer! Nunca li nada como ele e praticamente não havia lido a sinopse, porque só a capa me conquistou, então me surpreendeu bastante!
      Que bom que gostou da resenha!
      Beijos!

      Excluir
  3. Já tinha visto esse livro e ele captou a minha atenção porque essa edição é maravilhosa, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha. Não sabia de que se tratava então fiquei bastante surpresa , mas não sei se seria um livro que me faria bem.
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jéssica, realmente é bem diferente, tem que ler de mente aberta! Espero que o leia qualquer e nos conte tua opinião.
      Beijo!

      Excluir
  4. Esse livro é muito bonito mesmo! Faz tempo que fico admirando ele, mas infelizmente por enquanto não posso adquiri-lo, espero um dia poder ter ele em minha estante.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Marcio! Recomendo muito, espero que logo você possa admirá-lo em tua estante!

      Excluir
  5. Já li A menina submersa nessa mesma edição, e realmente é uma história muito difícil de acompanhar, mas vale a pena. A Dark Side caprichou!

    http://www.moleca20.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Paula!
      DarkSide sempre arrasa nas edições <3

      Excluir
  6. Bem... a capa é fantástica, tanto que deu vontade de comprar e deixar só de enfeite aqui na minha estante. Embora já conheça o livro, nunca me dei ao trabalho de ler a sinopse e nem saber um pouco mais sobre ele, descobri agora que ele nem faz tanto meu tipo assim, e vou repensar numa possibilidade, acredito que vou por causa da capa, e talvez eu leia, porque você recomendou.

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Gosto muito dos livros da editora DarkSide Books as capas são lindas, e em a Menina Submersa não é diferente, gostei da historia falar sobre a esquizofrênica !!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Sue. Não consegui imaginar que esse livro com uma capa tão linda possui uma estória tão pesada e reflexiva como esta. Com certeza, a esquizofrenia é um assunto polêmico, e gosto de livros assim, quero ler de imediato.

    ResponderExcluir