Resenha: Trono de Vidro - livro 01 | Sarah J. Maas

Título: Trono de Vidro 
Autor:  Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Número de páginas: 392
Classificação: ★★★★
Sinopse: Depois de cumprir um ano de trabalhos forçados nas minas de sal de Endovier por seus crimes, Celaena Sardothien, 18 anos, é arrastada diante do príncipe. Príncipe Dorian lhe oferece a liberdade sob uma condição: ela deve atuar como seu campeão em um concurso para encontrar o novo assassino real. Seus adversários são ladrões e assassinos, guerreiros de todo o império, cada um patrocinado por um membro do conselho do rei. Se ela vencer seus adversários em uma série de etapas eliminatórias servirá no reino durante três anos e em seguida terá sua liberdade concedida. Celaena acha suas sessões de treinamento com o capitão da guarda Westfall desafiadoras e exaustivas. Mas ela está entediada com a vida da corte. As coisas ficam um pouco mais interessantes quando o príncipe começa a mostrar interesse por ela... Mas é o rude capitão Westfall que parece entendê-la melhor. Então um dos outros concorrentes aparece morto rapidamente seguido por outros... Pode Celaena descobrir quem é o assassino antes que ela se torne a nova vítima? A medida que a investigação da jovem assassina se desenrola a busca por respostas a leva descobrir um destino maior do que ela jamais poderia ter imaginado.




Resenha: 

  Este livro foi mais um daqueles que absorvi, senti, agonizei, juntos aos personagens. De começo não ligava muito para a estória, mas antes de perceber fui enlaçada pela trama de Celaena. Também gostaria de ressaltar que a capa é linda, expõe o suficiente da personagem principal e deixa ao caro leitor que resolva o final da equação ao decorrer do livro junto com a assassina.
  Sobre a personagem principal, ela é mais uma daquelas que quebraram o paradigma de garota frágil (teoricamente) e que não pode se defender sozinha. Além disso, conforme avançamos no livro, ela mostra de peito aberto e expõe seu lado sensível cada vez mais. Outro ponto bem agradável, é que ela é uma assasina sim, mata por dinheiro, contudo seu coração não é de pedra e ela não esqueceu de amar, o que é um fato positivo, já que vemos assassinos em contos, frios e com coração de pedra .
  E a partimos para um estranho, e confuso, triângulo amoroso. Entre Dorian, Chaol ( Capitão Westfall) e Celaena , e assim podemos observar as personalidades mais distintas e até um certo ponto uma forma de amar diferente.

 Chaol é fechado, cuidadoso e fiel o que fez dele um personagem carismático tanto para amoroso com a assassina quando para um grande amigo de confiança, e o que foi passado na leitura, é exatamente isso, deixa claro que a uma "competição" entre os meninos, porém não é possível saber tanto dos sentimentos de Chaol quanto do príncipe .
 Dorian é engraçado, conquistador, gentil, mantém sempre suas relações esclarecidas durante o livro e mostra-se aberto para falar de sentimentos, aliado ao ser imprudente ás vezes. O que traz leveza ao folhear o livro e garante o equilíbrio e os momentos de tensão.
  Celaena é um personagem que começa conquistando desde do primeiro capítulo, ácida, inteligente, mas como toda garota de 18 anos, jovem, contém sua porcentagem de insegurança, sua mudança de humor e desconfiança com os sentimentos seus e de outros. Mas em combate é ela é badass do pedaço, não se esqueça.Tive vontade até de reler algumas passagens que Celaena lutava.
       
"- Eis uma lição para você, mestre de armas - disse Celaena, enquanto passava por ele -, dê-me homens de verdade com quem lutar. Então, talvez eu me incomode em tentar."

     O tempo do livro é excelente, e trouxe todas as cenas com fluidez e sem problemas, em perfeito equilíbrio.

      O espaço confundiu um pouco, por causa da mistura de conhecimentos, mitos, espíritos, criaturas mágicas, entretanto, houve a interação entre toda essa mistura no geral e estabeleceu um sentido. Por ser do gênero de fantasia, ganhou um desconto.

  O mais incrível dessa série, é a surpresa da protagonista ser uma assassina e não, ela não foi um tipo de anti-herói, desde do começo fiel ao seu objetivo, sem esquecer de terceiros. O que me fez com certeza querer ler o próximo, que promete ser mais quente que este.




2 comentários:

  1. Meu Deus eu tenho de começar a ler logo essa série!!!!
    Ela vai ser adaptada pra TV ne? Espero que não estraguem porque olha...
    Adoro mocinhas diferentes sem aquele mimimi todo. Acho que já deu.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha Luiza, não estava sabendo que iria ser série de TV! Que ótimo.
      Espero que curta a leitura.
      xx

      Excluir