Resenha: A Menina Que Colecionava Borboletas | Bruna Vieira


A Menina que Colecionava Borboletas  

Título: A menina Que Colecionava Borboletas
Autor:  Bruna Viera  
Editora: Gutenberg 
Número de páginas:  152
Classificação:  
Sinopse:
Bruna Vieira está cada vez mais longe dos quinze, e sabe que crescer nunca é tão simples. Considerada uma das blogueiras mais influentes do mundo, mais uma vez ela dá vazão ao seu talento como escritora com este seu novo livro de crônicas e pensamentos, em que mostra o quanto amadurecer e conquistar a independência é maravilhoso, mas tem seus desafios e poréns. A garota do interior que usa batom vermelho e que realizou seus maiores sonhos continua inspirando adolescentes de todo o país. Para ela, as páginas deste livro significam o bater de asas das borboletas que colecionou dentro do peito por algum tempo e que agora, finalmente, pode deixar que voem livres por aí. 

        Esta foi uma das primeiras crônicas que eu li. E recomendo que torne seu melhor amigo de cabeceira para a vida! 
         Começo já dizendo que essa capa é simplesmente maravilhosa, eu tenho esse livro autografado, beijado e só quero dizer que reflete tudo que é a autora é, e a ilustração é muito limpa e chama atenção as borboletas nos detalhes. 
         O livro é de reflexão, da adolescência, pós adolescência, dos amores e das amizades. É um livro retornado para o público teen, mas garanto que se algum adulto ler vai sentir o gostinho de flash back. 
          Quando nos tornamos a ser independentes, nossos sonhos se tornam uma bússola,e vamos descobrindo aos pouquinhos para que cada lado fica a tal da felicidade. 
    Bruna fala sobre ciclos que terminam, encontros e desencontros, os erros que cometemos, e principalmente sonhos. Acho que toda garota(o), sim garotos, deveriam ler pelo menos algumas passagens, elas são bem verdadeiras, aquelas que nem a gente quer acreditar.
    A leitura é tão leve, é tão bem escrito, que faz o leitor pensar que está sentando e conversando com aquele seu melhor confidente. Diria confortante até.
     Durante o livro encontramos algumas ilustrações bonitas, queria roubá-las todas pra mim.
     E no final, no último capítulo Bruna explica melhor o porquê da escolha de borboletas, assim terminando suave e completando o ciclo.
   
            A gente nunca tem certeza do impacto que terá na vida do outro.
      Nas últimas duas páginas, uma playlist pra você escutar junto do livro. E lembre- se leia um capítulo antes de dormir, faz bem pra alma.

4 comentários:

  1. Oi Anna,
    As resenhas que li sobre esse livro não são tão otimistas como a sua. Foi depois de ler sua resenha que eu reavaliei meus conceitos e se for possível, vou me aventurar em algum livro da autora.
    Beijos
    Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente gosto das crônicas da Bruna, dos livros de contos nem tanto.
      Esse é um livro que recomendaria a ler sem medo. Mas como são crônicas não acho válido ler tudo de uma vez só.
      Beijos. xo

      Excluir
  2. Olá, Anna.
    Eu tenho um pé atrás e li muitas resenhas negativas sobre a escrita da autora, não sei se esse livro me encantaria, talvez os de contos.
    Beijos,
    Borboletas de papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já li os contos, e acabo preferindo as crônicas. Mas é por que particularmente gosto de textos reflexivos.
      beijo xo

      Excluir