Resenha: Dias Perfeitos | Raphael Montes

Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 280
Classificação: ★★★★★
Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. 

Resenha —


Doentio. É impossível começar a resenha de Dias Perfeitos com alguma palavra que não retrate a obsessão do protagonista. Teo é um estudante de medicina que nunca se apaixonou. Entre sua vida social, a pesquisa e o estudo, sua maior paixão talvez seja Gertrudes, uma mulher mais velha, forte e independente. Teo sabe que o vínculo estabelecido entre eles seria forte e imutável, não fosse pelo fato de que Gertrudes é um cadáver para dissecação.



   Teo é um psicopata  mesmo que o termo não seja utilizado no livro, suas ações e linha de raciocínio correspondem ao quadro. A falta de afeto por sua mãe, Patrícia e Sansão, seu cachorro, não são problemas. A morte de ambos não irá emplacar em seus "sentimentos". Pior que isso: Patrícia é considerada um peso morto a Teo, devido a sua condição de cadeirante por conta de um acidente.
   Em uma festa para qual é convidado  e obrigado a ir  pela mãe, Teo conhece Clarice, uma estudante de História e escritora de um roteiro chamado Dias Perfeitos, onde um grupo de amigas cruza estradas do Rio de Janeiro. Clarice muda sua perspectiva em todos os sentidos. O jeito extrovertido consegue extrair de Teo um sentimento jamais encontrado dentro de si. Obcecado por ela, Teo não mede esforços para conquistá-la. Rejeitado, sua única saída é óbvia: sequestrar Clarice e fazer com que ela o ame. 



   Seguindo o roteiro de Dias Perfeitos, de Teresópolis a Paraty, Teo se vê dentro de uma obsessão, na qual fará de tudo para impedir que as pessoas no seu caminho o impeçam de ficar com o amor de sua vida. As atitudes de Teo são vistas por ele mesmo como completamente plausíveis. O personagem não erra: erro é a ação tomada por pessoas a sua volta que o fazem agir a altura.
   A escrita de Raphael faz a narrativa fluir de uma maneira incrivelmente fácil. As cenas, tensas e sombrias em alguns momentos, mostram a dedicação e cuidado que teve com sua obra.
   Apesar de me lembrar Dexter, principalmente por colocar o personagem como alguém que pode fugir facilmente de seus atos (o que me irritou em alguns momentos), o livro foi uma das maiores surpresas que tive em 2015. O melhor talvez seja o fato de ser uma literatura brasileira e que vêm sendo destaque em vários países.

1 comentários: