Resenha: A Garota no Trem | Paula Hawkins

Título: A Garota no Trem
Autora : Paula Hawkins
Editora : Record
Número de páginas377 

Classificação :
Sinopse : Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. 

Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. 


                                          Resenha: 

Logo que foi lançado, A Garota no Trem se tornou um sucesso imediato, tendo permanecido por meses na lista dos mais vendidos do New York Times e da Amazon. Teve seus direitos de tradução vendidos para 41 países e uma adaptação para o cinema já está em andamento!
Em meio a tantas resenhas positivas e tantas novidades, eu peguei esse livro com altas expectativas! E me desapontei...
O enredo é vendido como um suspense investigativo, cujas pistas são as memórias de Rachel. Eu vejo como um drama e o mistério sobre o desaparecimento de Megan é só um pano de fundo e não o foco principal da narrativa. 

Falando em narração, a história é contada por 3 narradoras diferentes. Rachel é a protagonista desempregada, alcoólatra e depressiva, que não consegue superar o fim de seu casamento com Tom. Megan é a nossa desaparecida e, portanto, os seus capítulos se passam como flashbacks; ela tem um passado trágico e também é depressiva. Anna é a nova esposa de Tom, insegura e constantemente atormentada pela figura de Rachel. Quanto às personagens masculinas, desempenham um papel mais coadjuvante, embora sua participação seja fundamental para o desenrolar da história. 

A verdade é que, embora seja um livro bem escrito e com personagens bem construídos, aquelas pessoas são tão exageradamente problemáticas que fica difícil se apegar a alguém e torcer pelo seu final feliz. Eles tomam tantas decisões equivocadas que se tornam irritantes!
Como eu não sou uma grande fã de dramas, perdi a paciência com o livro diversas vezes e quase desisti outras tantas. As memórias de Rachel não são confiáveis e a investigação parece não levar a nada, então a história começa a se arrastar. Sinceramente não entendo o porquê de tanto auê em torno deste livro! Mas espero que o filme seja mais dinâmico. Aguardemos!
Então, o que eu tenho a dizer é: se você gosta de dramas, vale arriscar a leitura. Se você gosta de investigação, melhor escolher outro título.

Adaptação para os cinemas:  O diretor é o Tate Taylor, responsável por alguns títulos conhecidos como "O Planeta dos Macacos" (2001), "James Brown"(2014), além de ter atuado em "Inverno da Alma" (2010).
O elenco conta com grandes nomes. Emily Blunt será Rachel, Haley Bennet será Megan e Rebecca Fergunson será Anna. Outros nomes bastante conhecidos que estarão presentes são Justin Theroux (da série The Leftovers), Laura Prepon (Orange is New Black), Luke Evans e Lisa Kudrow. 
O filme está sendo produzido pela DreamWorks e já tem data de estréia: 7 de Outubro de 2016, nos EUA. Aqui no Brasil, será na semana seguinte, no dia 13.

0 comentários:

Deixe seu comentário