Resenha: Depois de você | Jojo Moyes

Título: Depois de você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 320
Classificação: 
Sinopse: Quando uma história termina, outra tem que começar.
Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Como eu era antes de você conta a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, cujo fim trágico deixou de coração apertado os milhares de fãs da autora Jojo Moyes.
Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.
Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.



- Resenha -



Depois de você é a continuação de Como eu era antes de você, algo que muitos queriam e esperavam antes mesmo de saber que haveria esta continuação. Ao final de Como eu era antes de você, vemos uma Louisa triste, mas decidida a cumprir os desejos de Will. Vemos famílias marcadas e grandes consequências causadas pela decisão de Will.
“Nunca se sabe o que vai acontecer quando se cai de uma grande altura.”
Após 18 meses, Lou mora em Londres e trabalha em um bar no aeroporto. O primeiro choque, afinal Lou deveria estar na faculdade e vivendo sua vida intensamente como prometeu a Will, mas ela perdeu sua vaga e não consegue se recuperar da morte de seu querido Will. Também não consegue se perdoar por não ter feito Will desistir. 

“Quero falar que ficarei bem no meu apartamento, não importa o que achem dele. Quero ir para o trabalho, voltar para casa e não pensar em nada até o próximo expediente. Tenho vontade de dizer que não posso retornar a Stortfold e ser de novo aquela garota. Não quero sentir o peso da recriminação cuidadosamente disfarçada da minha mãe, da determinação alegre do meu pai garantindo que está tudo bem, está tudo muito bem, como se o fato de dizer isso várias vezes realmente fizesse tudo ficar bem. Não quero passar todo dia pela casa de Will, pensar no que eu vivi, no que vai estar sempre ali.”

Vemos aqui uma Lou completamente diferente: Melancólica, depressiva, solitária e alcoólatra. O segundo choque que serviu muito bem. O que era esperado? Que ela seria feliz e esqueceria tudo que viveu com Will assim tão rápido? Os sentimentos são fortes e compartilhamos a dor dela. Ainda assim, é estranho se acostumar com uma Louisa depressiva.

“As ruas alegres de minha cidade natal me parecem estranhas. Observo-as com um olhas distante e analítico, notando como tudo parece pequeno cansado e brega. Eu me dou conta de que Will deve ter se sentido assim ao voltar para casa após o acidente, mas afasto esse pensamento.”

Em meio a essa nova personalidade, somos apresentados a uma nova personagem: A filha de Will. Rebelde, deslocada de sua realidade e com muito da personalidade de Will, Lily é uma reviravolta na vida de Lou. Talvez uma forma de conduzi-la à vida novamente. E assim, Lou toma para si a tarefa de ajudar a garota e apresentá-la à sua família. Ajudar em seu caminho

“Você é responsável pela sua vida, Lou. Mas age como se fosse permanentemente surpreendida por acontecimentos que fogem ao seu controle. O que é isso? Culpa? Você acha que deve alguma coisa a Will? É algum tipo de penitência? Tem que abrir mão da sua vida porque não conseguiu salvar a dele?”

Embora Lou se esforce entre trabalho-viver de novo - Lily, vemos uma demonstração de como em situações como a dela, todos nos negamos a encarar nosso sofrimento e dar um passo à frente para superá-lo. É uma agonia, uma esperança que nos corrói, torcer para que tudo fique bem para ela. Torcer para que ela consiga fazer tudo que prometeu a Will e a si mesma. 

“Não quero passar todo dia pela casa de Will, pensar no que eu vivi, no que vai estar sempre ali.”.

Não posso falar muita coisa mais, caso contrário entregarei toda a história, mas recomendam que leiam, preparem os lenços e tentem seguir em frente junto a mim. Depois de você é exatamente sobre isso. É sobre seguir em frente.
Obs: Deem uma olhada no trailer da adaptação de Como eu era antes de você.

"Lou, não sei o que vai acontecer. Ninguém nunca sabe. Você pode sair certa manhã, passar na frente de uma moto e sua vida inteira mudar."







2 comentários:

  1. Ainda não li "Como eu era antes de você", mas não vejo a hora de poder fazer isso... Antes do filme, espero. Esse segundo livro (pela sua resenha) me pareceu ser ainda mais triste que o primeiro, né? Mas pelo visto trás uma mensagem mais que especial... seguir em frente é realmente necessário, apesar de difícil. Beijos ♥

    www.quetransborde.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho uma paixão pelo primeiro livro e espero que a continuação não decepcione. Acho o Will e a Lou uns amores e eu amo a escrita da Jojo *-*
    http://palavrasinquebraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir