RESENHA: DIÁRIO DE UMA CÚMPLICE | MILA WANDER

Título: Diário de uma cúmplice
Autor: Mila Wander
Editora: Planeta - essência
Número de páginas: 334
Classificação: 

Sinopse: Meu nome é Christine, ou pelo menos costumava ser. Professora numa escola infantil, eu levava uma vida bem normalzinha, meio sem graça, até que numa noite eu o vi.

Começou com uma paquera descompromissada, daquelas que acontece quando você vê um cara gato do outro lado da rua. Ele me olhou, eu olhei pra ele e sorri. Esse joguinho de sedução poderia ter terminado num café, ou quem sabe em um namoro, se ele não tivesse se aproximado de mim e me apontado uma arma. Não sei o que me deu para salvá-lo da polícia e abrigá-lo na minha casa. Burrice? Solidão? Não tinha a menor intenção de me tornar cúmplice de um criminoso. Mas seu olhar quente, sua fala mansa e sedutora me enlaçaram de tal forma que, de repente, eu me vi no meio de um turbilhão de acontecimentos. Agora, refém da paixão por aquele homem, só me restava relatar em um diário como fui me envolver – mais de corpo do que de alma – com a maior quadrilha do país.
                                        – Resenha –




Uhullll, é livro nacional chegando no pedaço! Para começar, é sempre inspirador quando me deparo com livros de autores brasileiros fazendo tanto sucesso. Dá uma esperança danada de que um dia vai ser o meu. Mas na verdade é muito mais que isso, é ver o cenário do nosso país mudando, o número de leitores crescendo e escritores se arriscando. Ai ai, coisa mais linda de se ver.

Diário de uma cúmplice demonstra toda a coragem de Mila em inovar em matéria de romance hot. Não, não é casalzinho pelado e sexo o tempo todo. Sim, tem história e outros personagens relevantes. Tem trama, suspense e uns sustos de tirar o fôlego.
         
Outra coisa linda desse livro é a quebra do estigma de protagonista mocinha e indefesa. Christine sabe muito bem assumir o papel de vilã da história assim que surge a demanda.
        “Odioso diário,Nesta madrugada tive absoluta certeza de que perdi completamente o meu juízo."

Falando na protagonista, Chris é uma grande incógnita. Ela é múltipla, versátil, mas tudo isso foi consequência da vida, que a moldou diante das necessidades. Ela perde os pais ainda muito jovem em um crime horrível nunca desvendado e nesse momento parece que sua vida nunca mais fará sentido novamente. Viveu com sua tia até que ela se casasse, depois disso decidiu seguir seu rumo sozinha, sem “atrapalhar” ninguém.
         
Ela se muda para um cubículo, consegue um emprego em uma creche como educadora infantil e começa uma faculdade. Assim Christine leva sua vida, apenas existindo e encontrando meios de superar seus infortúnios.
         
Sua única amiga lhe presenteia com um diário de aniversário, instruindo-a a escrever todos os seus pensamentos e acontecimentos do seu dia a dia, o que de cara ela acha completamente ridículo. Não acontece nada em sua vida, para quê relatar a monotonia entediante de seus dias naquele diário? Mas Lessy a faz prometer que tentaria.
         
Como em um passe de mágica a vida de Christine muda da água para o vinho e esse “diário idiota” será seu fiel confidente em momentos de desespero.
        
 Em um dia qualquer, saindo da creche e caminhando até seu “apertamento”, já que ela não possuía carro e a aproveitava a distância como prática de exercício diário, ela se depara com um homem singular. A rua estava deserta e ela cria raízes no chão, sem conseguir parar de observar o tipão que estava parado próximo de seu prédio.
         
O que acontece em seguida é apenas o primeiro passo para a reviravolta de sua vida. Ela descobre que o aquele homem maravilhoso é nada menos que um bandido foragido e logo é feita de refém. Perseguição. Troca de tiros. O bonitão é atingido e ela se vê livre, finalmente. Mas ela sai correndo? Se esconde? O entrega para a polícia? NÃO, ELA SIMPLESMENTE O LEVA PARA SUA CASA E CUIDA DE SEU FERIMENTO.
         
Nesse momento você vai se perguntar: WTF??? Eu mesma a quis matar. Como ela leva um bandido para casa e ainda cuida dele? Chris passa de vítima indefesa a cúmplice foragida em minutos.
         
Sem saber o que fazer, ela decide seguir o conselho de Miguel (o bandido gostosão) e dá o fora de casa junto com ele. Ela encontra e dirige o carro dele até uma casa muito suspeita, distante da cidade. Pouco depois ela descobre que foi apenas usada como meio de fuga, já que Miguel estava baleado e não poderia fugir sozinho. Enfim ela tem nova chance de se libertar daquele episódio de loucura e voltar para a tranquilidade de seu lar, mas novamente você vai querer interná-la em um hospício, pois ela decide ficar (pasmem!) e fazer parte da quadrilha.  
         
Miguel a conquista desde a primeira troca de olhares e ele fica responsável por proteger Cris durante as ações e integrá-la no grupo, mesmo contra a vontade de alguns integrantes. Seu mundo desmorona quando ela descobre que a única mulher do grupo (além dela agora) é namorada dele, e percebe que foi uma grande idiotice pensar em viver como uma bandida por causa de um amor não correspondido (finalmente!).

Infelizmente quando cai em si já é tarde demais. Seu envolvimento não poderia ser ignorado e ela não podia mais simplesmente ir embora. Ou ficava ou morria. Assim, seu diário torna-se sua válvula de escape. Nele ela irá contar toda a intensidade de sua nova vida.

“Diário ridículo, 
Já estou de saco cheio de escrever nesta porcaria, mesmo sabendo que fico cada vez mais dependente e que talvez escrever o que penso não seja lá tão ruim e infantil assim. Não suporto ter que escrever certas coisas. Envergonho-me de minhas atitudes impensadas, do meu comportamento descontrolado e dos pensamentos sem sentido. Estou envergonhada, principalmente, dos meus sentimentos. Eles são os piores.”


Em seu caminho ela irá encontrar perigo, amizade leal, medo, amor, vai se tornar uma criminosa, salvar vidas e arriscar a sua própria em nome daqueles que ama, se mostrará astuta, mas também irá chorar muito como uma menininha. Chris se transformará em uma pessoa totalmente diferente da órfã deprimida, ela terá que assumir o controle de sua vida e viverá aventuras inimagináveis. Seus sentimentos são uma montanha russa perigosíssima e vão te fazer devorar as páginas desse romance quase policial com um gostinho picante de dar água na boca.
         
                                      Vale a pena conferir. Boa leitura :)

1 comentários: