Resenha: Wild Cards - Livro 02: Ases nas Alturas | George R. R. Martin


Título: Wild Cards - Livro 02: Ases nas Alturas
Autor: George R. R. Martin
EditoraEditora Leya
Número de páginas: 400 
Classificação: 
Sinopse : Estamos no início dos anos 1980, há mais de 30 anos a humanidade convive com os atingidos pelo xenovírus Takis-A, mas a integração ainda caminha a passos lentos. Os abençoados pelo vírus combatem os perigos da Nova York que nunca dorme. Os amaldiçoados, com suas deformidades e mutações bizarras, lutam pela sobrevivência no Bairro dos Coringas. E, no céu, uma ameaça espreita a humanidade, aguardando a oportunidade certa para lançar seu ataque. Um ser extraterreno chamado o Enxame ruma para a Terra, ao mesmo tempo em que alguns ases planejam uma conspiração para controlar o mundo... Este é o segundo volume da série Wild Cards, que foi construída por diversas mentes inteligentes, e organizada pelo gênio George R.R. Martin, que criou pessoalmente este cenário para jogar RPG com os amigos, também escritores de fantasia. Tente a sorte e tire sua carta!

                                                             – Resenha –
Se você conseguiu sobreviver à leitura do primeiro livro (que tem sim partes bem massantes, ou muita "cantoria", como eu costumo dizer), então o segundo volume vai ser suave. Ainda se trata de um romance mosaico, o esquema não muda, porém agora os autores não têm mais que se preocupar tanto com a ambientação e todo mundo que joga RPG sabe que ambientação é um negócio extremamente chato! Altamente necessário, mas muito chato de escrever e de ler! Sem a obrigação de criar o background e situar o leitor, os contos são mais interligados, a leitura é mais coesa e fluida.

Enfim... Três décadas depois da infecção pelo Takis-A, a humanidade está reaprendendo a conviver com suas diferenças. E veja bem, se ainda não tinha aprendido a conviver com as que existiam antes do vírus, imagine agora com mutações explodindo por todos os lados! Mas em nome da sobrevivência, todos tiveram que se adaptar e, embora ainda exista uma "tensão", especialmente em relação aos Coringas, tudo vai bem, na medida do possível, obrigada!

Só que humanos são humanos e mesmo que sejam mutantes, as falhas de personalidade não desaparecem! E aqui nós temos um grupinho de Ases que realmente acha que são superiores aos outros! E nós sabemos - e a História taí para nos mostrar - que isso nunca presta! E o que esse grupinho quer? Trazer para nosso planetinha azul, uma entidade bizarra chamada TIAMAT, que basicamente quer devorar tudo que encontrar pela frente! E por que raios, eles fariam uma idiotice dessas?! A ambição, o sonho de obter poder... A motivação de todo bom vilão, né?

Desta vez, o grande destaque é para o Grande Tartaruga, um Ás de identidade e aparência desconhecida, já que ele sempre faz suas aparições dentro de sua carapaça flutuante ultra-tecnológica, fazendo o bem sem olhar a quem. Junto com uma equipe de outros Ases heróicos e, é claro, o Dr. Tachyon, eles tentam impedir os planos maléficos da seita "do mal".

Já deu para perceber que o enredo desse livro é cheio de clichês e, acreditem, isso não é ruim! Na verdade, é o meu preferido (entre os que eu li)! E o Tartaruga é uma personagem muito amorzinho! 

0 comentários:

Deixe seu comentário