Crítica: O Lar das Crianças Peculiares | Miss Peregrine's Home for Peculiar Children

Estreia: 29 de setembro de 2016
Direção: Tim Burton
Roteiro: Jane Goldman
Livro: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares
Texto Original: Ransom Riggs

Elenco:
   Asa Butterfield como Jack Portman;
   Eva Green como Senhorita Peregrine;
   Ella Purnell como Emma Bloom;
   Samuel L. Jackson como Barron;
   Judi Dench como Senhorita Avocet;
   Terence Stamp como Abraham Portman.


Classificação:

Sinopse: O que começou com morte, terminou como uma das maiores aventuras dirigidas por Tim Burton. Jake Portman é um adolescente que se sente deslocado entre os garotos de sua idade. Após os anos de sua infância sendo alimentados pelas superstições de seu avô, taxado como paranoico e louco, Jake acaba sendo atendido por um psicólogo e diagnosticado com sintomas de alucinação pós-traumática. O que poucos sabem é que as histórias de seu avô são tão reais como a água ou o fogo. Jake então irá atrás da Srta. Peregrine e suas crianças peculiares na maior missão de sua vida.

Resenha
Meus queridos, desde já, me perdoem por escrever muito. Mas acreditem, é isso mesmo que esse filme me deixou sentindo.


Primeiramente, amei o filme. Segundo, o filme é bom demais hahaha

Jake Portman, como descrito, tem um avô nota 10 que contava as mais encantadoras histórias para dormir (eu teria alguns pesadelos, mas ok). Jake acreditava e gostava tanto das histórias em que seu avô Abraham alegava ter vivido, que apresentou para seus colegas de sala. Como qualquer bom sonho de criança, seus pais, professores e colegas desencorajaram Jake em acreditar nas histórias e a achar que seu avô era um mentiroso, alguém traumatizado depois de servir na Segunda Guerra Mundial.

Abraham lhe contava histórias sobre o Orfanato da Srta. Peregrine (A maravilhosa Eva Green, de 300 - A ascensão do Império, de Penny Dreadful) e das crianças com poderes extraordinários que ela tomava conta.

Até então já estava maravilhado com o mistério e a apresentação da trama . Mas algo não me fugia a cabeça, “O filme seria só isso? Cadê a ação?”. Porém, seu querido avô nunca havia lhe contado toda a verdade que rondava o Lar da Srta. Peregrine. Lá é um lugar afastado e escondido de todo o mundo por magia. Por que? Para proteger as crianças dos terríveis hollows (Deu medinho e aí sim percebemos o toque macabro de Tim Burton).

Jake presencia um acidente e vislumbra seu primeiro pesadelo, sendo levado por um psicólogo a crer estar sofrendo de alucinações e culpado por uma perda. E aí começa sua busca para provar a si mesmo que seu avô não era um mentiroso e que seu pesadelo nada mais era do que realidade. Ele viaja para longe para encontrar o famoso Lar. Ao chegar numa ilha, no país de Gales, perdida no meio do mar com uma cidade minúscula, ele então descobre que a casa que seria o orfanato é uma ruína, atingida por uma bomba durante a Guerra.

Já sem esperanças de encontrar os peculiares, surpreendentemente e de forma cômica, as crianças do orfanato que encontram (assustam) Jake. Aqui começam cenas fofas, engraçadas, mais surpresas e cenários surreais e lindos. Coincidentemente as tretas começam a acontecer e os problemas que o lar enfrenta a anos voltam para assombrá-los. O cientista louco, Sr. Barron (Samuel L. Jackson, muitos filmes hehe) que passou os anos de sua longa vida caçando lares de crianças peculiares para “fazer um lanchinho” (me lembra os três porquinhos), consegue encontrar e capturar um dos moradores deste lar.

Antes, temido e imbatível, o Sr. Barron é um vilão daqueles tipos que roubam cenas e mal sabe que Jake possui o dom da peculiaridade e ótimas idéias para derrotá-lo e salvar seus novos amigos. 

Pode parecer história de criança, pode parecer bobo, mas a ação é energizante e a trama é muito bem direcionada para que você sinta tudo que se pode esperar de um filme. Romance, ação, aventura, angústia, raiva, comédia, tristeza e não se conformar até perto do final.

Para terminar, garanto que é uma aventura para toda a família e para todos os tipos de público. Tim Burton conseguiu adaptar um livro em uma excelente obra cinematográfica. Em pouco tempo, estarei de novo nos cinemas para assistir O Lar das Crianças Peculiares.

                                      Escrito por: Ian Improta

1 comentários:

  1. Nossa eu to loooouca pra ver o filme! Pretendo ver semana que vem! Tudo que é do Tim me agrada <33
    Ótima crítica, muito bem elaborada, e sua nota pro filme me deixou mais ansiosa ainda pra ver o filme!
    Beijos <3
    https://livrosamoremais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir