Crítica: Sete Homens e Um Destino | The Magnificent Seven

 
Título: Sete Homens e Um Destino (Original: The Magnificent Seven)
Direção: Antoine Fuqua
Roteiro: Nic Pizzolatto e Richar Wenk
Elenco: Denzel Washington, Chris Pratt, Ethan Hawke, Vincent D'Onofrio, Byung-hun Lee, Manuel Garcia-Rulfo, Martin Sensmeier, Haley Bennett e Peter Sarsgaard.


Classificação

Sinopse: No ano de 1870, a cidade de Rose Krick é assaltada por um grupo de bandidos contratados pelo corrupto industrialista Bartholomew Bogue. Os habitantes desolados contratam um grupo de pistoleiros fora da lei para defende-los. Enquanto se preparam para um dos maiores tiroteios que o velho oeste já viu, os Sete Homens se encontram lutando por algo muito maior que o dinheiro.



                                               Resenha

Sete Homens e um Destino foi o título dado ao filme de 2016, que é uma readaptação do mesmo título feito em 1960 (The Magnificent Seven), de tanto sucesso que lançaram 3 sequências e uma série de televisão. E não é para menos, afinal quem não curte uma boa e velha contenda no estilo faroeste? Dois inimigos, duas armas, sete passos e um tiro. Bom, não é só um tiro que veremos neste filme. São centenas.

O elenco do filme já chama atenção, Denzel Washington (com o bigode mais feio de todo oeste. Desculpa Denzel hehe), Chris Pratt (o charmoso “Star Lord”, em Guardiões da Galáxia), Vincent D'Onofrio (o vilão de Hells Kitchen, em Demolidor) e Lee Byung-hun (de G.I. Joe: A Origem de Cobra), além de outros bons atores.

Interpretando personagens com características únicas e distintas do velho oeste, os 7 pistoleiros são convocados para defender uma pequena vila que é atormentada por um industrialista corrupto, Bartholomew Bogue. Este que quer despejar os cidadãos de Rose Krick para construir sua nova mineradora.

Sam Chisolm, líder dos sete, é abordado por uma jovem donzela viúva da cidade que deseja pagar pelos seus serviços que bem se resumem em caçar e por medo em outros foras da lei e de colocar balas no alvo. Após ouvir o nome do bandido, um déspota capaz de irritar qualquer indiferente que esteja assistindo, Chisolm vai atrás de habilidosos e exóticos foras da lei para ajuda-lo a defender Rose Krick.

Pode ser um pretexto batido, um filme blockbuster de velho-oeste, mas é uma trama legal e de boa fotografia. Além de cenas de tiroteio de prender a atenção. Para quem curte a vida de um pistoleiro, esse filme não deixa a desejar.


Quando os sete se encontram com a população da cidade ameaçada, eles nos mostram que as batalhas travadas são por muito mais do que dinheiro. Depois de quilômetros cavalgados, dezenas de piadas sarcásticas e cenas engraçadas, os Sete Homens e um Destino serão os sete homens que se tornaram lendas.
                              



                                       Por : Ian Improta

1 comentários: