Meu top 5 da Aleph

Nessa postagem eu quis mostrar as minhas melhores experiências de leitura da Aleph com as melhores capas, histórias e aquele final que te faz querer um pouco mais
   Notas sobre a postagem:

  • Não sou um expert em leituras da Aleph. Li cerca de 15 a 20 livros da editora;
  • Não consultei nenhuma página em especial para criar essa lista;
  • Os livros não estão em ordem de preferência;
  • Espero que gostem.

1. Laranja Mecânica


Clássico, ultraviolento, horrorshow. É difícil escolher apenas uma palavra para definir a complexidade e brilhantismo de Laranja Mecânica. O livro narra a história de Alex, um garoto de 15 anos que, aliado a seus três druguis, vive de roubos, ultraviolência e o velho entra-e-sai. Alex possui um dialeto próprio, o nadsat, que substitui palavras comuns como cabeça por gúliver, por exemplo.
  Em uma habitual noite de crime, Alex é pego pela polícia e preso, condenado a quatorze anos de prisão. Lá dentro, após dois anos, Alex se envolve na igreja. Movimentado pela ânsia de sair, ele ouve os comentários que se espalham pela cadeia: um método inovador e que promete retirar o detento detrás das grades, para nunca mais voltar, conhecido posteriormente como Método Ludovico, onde o indivíduo se torna "condicionado a ser bom", e se torna alguém sem livre arbítrio.







2. Jurassic Park e O Mundo Perdido


O livro começa introduzindo a empresa InGen e a compra de uma ilha na Costa Rica, tecnologia avançada e âmbar. O dono da empresa, John Hammond, convida seus colaboradores para uma visita a Isla Nublar, onde um parque foi construído. Lá, eles descobrem que Hammond conseguiu o DNA de dinossauros através de mosquitos que os picaram e ficaram presos em âmbar por milhões de anos. 
   As coisas passam a der errado quando uma tempestade ameaça o parque, as cercas elétricas param de funcionar e as linhas telefônicas são cortadas. A única coisa que resta a todos é fugir.
   A continuação, lançada como O Mundo Perdido, não fica para trás, e tem uma história acompanhada de uma narrativa tão boa quanto o primeiro.








3. Star Wars, Herdeiro do Império


Alguns anos após o ocorrido em O Retorno do Jedi, a Nova República ainda se depara com os fiéis ao Império. Ainda há muito trabalho e alianças a serem feitas na galáxia. Leia Organa está casada com Han Solo e espera por gêmeos enquanto tenta aprender mais sobre as habilidades Jedi.
   As cenas estão bem detalhadas, inclusive as batalhas, que trazem aquela nostalgia clássica de estar assistindo os filmes mais uma vez. Herdeiro do Império marca a volta de Star Wars aliado ao universo expandido através da trilogia Thrawn.




4. O Perfuraneve

A HQ narra um futuro no qual a raça humana foi dizimada da face da terra devida a uma tempestade de neve que retoma ao período glacial. No lugar da calamidade instalada, um trem com engrenagens fortes o suficiente para nunca parar, trabalha de modo contínuo. Lá dentro, as pessoas são separadas por um sistema de castas: ricos à frente, pobres atrás. Nesse meio que os separa, o trem é organizado desde o vagão destinado para uma cozinha, passando por cenários como uma espécie de igreja e até mesmo uma aconchegante sala de cinema. 
   De certa forma, a história narra uma realidade evidente na política atual. Enquanto indivíduos no poder tem arrecadado cada vez mais fortuna e luxo para si, pessoas que necessitam de ajuda sofrem as consequências por serem deixadas cada vez mais de lado





5. Guerra do Velho

Em seu aniversário de 75 anos, John Perry visitou o túmulo de sua esposa e se alistou no exército. Fisiologicamente falando, idosos não condizem com as aptidões físicas solicitadas pelo exército comum para lutar na frente da batalha, mas as FCD  Forças Coloniais de Defesa – deixam claro que é a idade exigida para o alistamento. 
  A tecnologia avançada permitiu as viagens interestelares, levando os seres humanos a planetas nos quais disputas de territórios são constantes. A guerra possui um objetivo simples e único: os humanos recrutas partem em missões para colonizar terras e combater alienígenas que ameacem os planetas até então conquistados.
   No geral, Guerra do Velho é uma leitura diferencial. Possui uma premissa peculiar, cercada de viagens estelares, humor e até mesmo momentos leves que nos faz refletir o real sentido de estar vivo. 



Espero que tenham gostado.
Beijos e abraços alephianos,

0 comentários:

Deixe seu comentário