Resenha: Sonho Febril | George R. R. Martin


TítuloSonho Febril
Autor: George R. R. Martin
Editora: Editora Leya
Número de páginas: 352 
Classificação: 
Sinopse :  Uma reinvenção original e fascinante das histórias de vampiros pelas mãos do mestre da fantasia moderna George R.R. Martin.
Quando o falido capitão Abner Marsh recebe uma oferta de sociedade de um rico e sinistro aristocrata chamado Joshua York, ele até chega a desconfiar que algo está errado. Mas nada que a possibilidade de receber milhares de dólares em ouro e construir o barco dos seus sonhos não possa fazê-lo mudar de ideia.
Assim surge o Sonho do Fevre, o melhor e mais potente barco de todo o Mississipi. Uma embarcação magnífica que, ao navegar pelo rio, vai deixando pelo caminho uma coleção de histórias sombrias. Movido pela força do vapor, o Sonho do capitão pode se transformar no maior pesadelo da humanidade.


                                                             – Resenha –
Desde o fenômeno que foi a publicação de Crepúsculo, os livros sobre vampiros voltaram aos holofotes (falem o que quiser do livro, mas ele tem esse mérito); não que algum dia essas instigantes criaturas tenham realmente saído de moda na literatura. Vejam só que até o nosso querido tio Martin resolveu enveredar por esse caminho! E isso, amiguinhos, aconteceu bem antes da maioria de nós ter sequer nascido: Sonho Febril foi publicado pela primeira vez em 1982, mas só no ano passado chegou aqui no Brasil.
Bom, eu adooooooro histórias de vampiros e tenho uma boa coleção de livros sobre o assunto (ainda não tenho os da Anne Rice - aceito de presente =D), então vou falar um pouco sobre os que eu já li. Para quem acha que histórias de vampiros são todas iguais, tenho uma novidade: não são! E, quando comecei, nem fazia ideia de quantas versões diferentes poderiam haver!
E os sanguessugas do tio Martin fogem do padrão clássico, pero no mucho. Os elementos principais estão ali: fraqueza à luz do sol, alimentação a base de sangue, etc. O que os difere é que não são humanos amaldiçoados; são efetivamente uma outra espécie e isso é um dos pontos mais interessantes da história. 
O enredo se passa em 1857 e o cenário é o Rio Mississipi e conta a história de Abner Marsh, um capitão muito famoso e respeitado na região em trabalha, mas que acabou falido devido uma série de incidentes. E a sua salvação vem na forma do jovem e misterioso Joshua York, que lhe propõem sociedade. Juntos, eles projetam e encomendam um dos barcos mais incríveis que já navegou o Mississipi: o Sonho Febril. Com o tempo e a convivência, Abner acaba descobrindo a identidade de Joshua e isso até o assusta, mas eles acabam desenvolvendo uma improvável amizade. Porém, nem tudo são flores, né, gente? 
O livro é relativamente curto e a narrativa é bem mais fluida que os outros livros do Martin. Acho que não é a melhor obra dele, mas tem um final bem amarrado e coerente. Ah! E tem menos sanguinolência do que a mistura Martin + vampiros sugere (mas tem sangue sim, não se enganem!). 

0 comentários:

Deixe seu comentário