Resenha: O Diário de Suzana para Nicolas | James Patterson

Título: O Diário de Suzana para Nicolas
Autor: James Patterson
Editora: Arqueiro
Páginas: 244
Ano de Lançamento: 2011
Classificação:
Compre aqui: Saraiva (livro digital) Estante Virtual
Sinopse: Depois de quase um ano juntos, o poeta Matt Harrison acaba de romper com Katie Wilkinson. A jovem editora, que não tinha qualquer dúvida quanto ao amor que os unia, não consegue entender como um relacionamento tão perfeito pôde acabar tão de repente.
Mas tudo está prestes a ser explicado. No dia seguinte ao rompimento, Katie encontra um pacote deixado por Matt na porta de sua casa. Dentro dele, um pequeno volume encadernado traz na capa cinco palavras, escritas com uma caligrafia que ela não reconhece: “Diário de Suzana para Nicolas”.
Ao folhear aquelas páginas, Katie logo descobre que Suzana é uma jovem médica que, depois de sofrer um infarto, decidiu deixar para trás a correria de Boston e se mudar para um chalé na pacata ilha de Martha’s Vineyard. Foi lá que conheceu Matt. E lá nasceu o filho deles, Nicolas.
Por que Matt teria lhe deixado aquele diário? Agora, confusa e sofrendo pelo fim do relacionamento, é nas palavras de outra mulher que Katie buscará as respostas para sua vida.
O diário de Suzana para Nicolas é uma história de amor que se constrói ao virar de cada página. Cada revelação é mais uma nuance sobre seus personagens. Cada descoberta é um fio a mais a ligar vidas que o destino entrelaçou. 


“Katie abaixou a cabeça quando terminou de ler o diário encadernado em couro e o colocou sobre o banquinho de madeira ao lado da banheira. Sentiu o corpo estremecer.”

A editora de livros Kate está devastada e totalmente perdida após seu namorado Matt, com o qual se relacionava há quase um ano, romper o compromisso de maneira súbita, sem dar explicações, e desaparecer. No dia seguinte ao término, Kate recebe em sua porta um diário, escrito de Suzana para Nicolas, enviado a ela por Matt, acompanhado de um bilhete no qual diz a Katie que ela iria entender todas as razões que embasaram sua atitude – alertando-a de que alguns momentos poderiam ser muito difíceis de serem lidos.

“O que posso dizer, Nicky... a felicidade inundou nossos corações e todos os cômodos de nosso chalé na praia. Ela veio como uma maré alta numa noite de lua cheia.”

Kate, embora atordoada e confusa, decide iniciar a leitura do diário. O livro se divide, basicamente, na narrativa de Suzana vinda de seu diário, entremeados com capítulos sobre a perspectiva de Katie acerca do que leu até então e um capítulo escrito por Matt – assim, conhecemos a história de Suzana (esposa de Matt) e Nicolas (filho de Matt) ao mesmo tempo que Katie, uma vez que Matt sempre havia sido reservado acera de seu passado (conforme a leitura avança, podemos entender o que o motiva a ter tal atitude, já que não é a primeira vez que se comporta desta maneira).

“Nicolas, você está crescendo e isso é maravilhoso de se ver. Eu saboreio cada instante. Espero que todos os outros papais e mamães do mundo se lembrem de aproveitar esses momentos e tenham tempo para isso.”

O livro tem uma escrita muito gostosa de ser lida, fluindo de maneira rápida e leve, nos deixando apaixonados pela história que surge entre Suzana e Matt – porém, sempre com aquele aperto no coração, tentando entender porque Matt deixou a ela e seu filho em uma cidade e se envolveu e abandonou Katie em outra.

“Havia um limite de leitura do diário que Katie conseguia suportar por vez. Matt a alertara sobre isso no bilhete: algumas partes provavelmente serão difíceis de suportar. Agora Katie sabia que não era apenas difícil, mas avassalador.”

À medida que a história avança, passamos a conhecer melhor a personalidade de cada personagem, e passamos a refletir sobre o que pode ter acontecido. Depois de certo ponto, as lágrimas são simplesmente INEVITÁVEIS! Passei parte do livro com certa aversão a Matt devido ao que fez no início, ao mesmo tempo em que o admirava pela maneira com que tratava Suzana e Nicolas; contudo, à medida que tudo vai ficando mais claro e, principalmente, depois da grande revelação mais ao final, meu coração ficou destroçado e me pus no lugar de Matt, entendendo suas razões de maneira emocionante.

“Eu a amava demais e não tenho palavras para explicar como é uma sorte encontrar alguém que se possa amar tanto e que – a maior felicidade de todas – ame você com a mesma intensidade”

Este livro já esteve na minha estante do Skoob há anos, saindo depois. Porém, a partir de um vídeo da Paola, do Livros & Fuxicos, resolvi dar uma chance ao livro, visto que ela só teceu elogios a ele – e foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado. É uma leitura super recomendada para aquelas pessoas que querem voltar a ler depois de algum tempo ou até mesmo para as que querem começar a ler. Sem dúvida alguma, tornou-se um de meus preferidos!

James Patterson é hoje um dos autores mais vendidos no mundo inteiro. Seu livro de estréia The Thomas Berrynan Number ganhou o Edgar Award de melhor romance policial. Foi publicado em 1976, depois de recusado por mais de 20 editores. O autor iniciou então uma série de best-sellers, incluindo os seis livros com o personagem Alex Cross, um detetive-psicólogo. Antes de se tornar um escritor em tempo integral, Patterson trabalhou na área de Publicidade por muitos anos,. Foi presidente da J. Walter Thompson, North America, de 1990 a 1996. Estudou no Manhattan College e depois na Vanderbilt University. Vive atualmente em Palm Beach, Flórida, com a mulher e o filho.
                                               Por :  Patricia Jabour

0 comentários:

Deixe seu comentário