Crítica: Tamo Junto

Título: Tamo Junto
Direção: Matheus Souza
Roteiro: Matheus Souza
Elenco: Leandro Soares, Sophie Charlotte
Classificação:

Sinopse: Felipe não faz ideia, mas a vida de solteiro não é tão fácil quanto parece. Agora ele vai ter que driblar as ciladas do mundo adulto junto com seu melhor amigo de infância, e tentar se dar bem no final da história.









                                                                     Resenha


O cinema nacional parece ter começado um investimento alto em comédias estilo “American Pie”. O que é bom e uma pena, ao mesmo tempo. É bom, porque é sempre bom assistir a um filme nacional, que por mais que não seja ótimo, cumpra seu papel de entreter. E é ruim, porque o cinema nacional tem condições de fazer uma comédia com total originalidade, sem precisar de grandes influências.

“Tamo Junto” traz a história de “Felipe”, um jovem que ao sair de um relacionamento conturbado, se vê sem a ajuda dos amigos, sem emprego e pronto para curtir a vida. No caminho para curtir a sua ‘liberdade’, ele conta com ajuda de um amigo de infância, que não via há muito tempo, o diferente “Paulo Ricardo” e a, também amiga de infância, “Júlia”.

Não é um filme com surpresas. Mas as atuações de Leandro Soares (Felipe) e Matheus Souza (Paulo Ricardo), deixam o longa melhor do que realmente é. Os gritinhos de “Paulo Ricardo”, as caras de “Felipe”, o rap e o carro que só toca a mesma música são bastante divertidos. As referências do filme a outros filmes, novelas e demais itens da cultura pop, são perfeitamente encaixadas nas falas dos personagens ou no cenário.

A direção e roteiro são do próprio Matheus Souza, que dirigiu o maravilhoso “Apenas o Fim”. “Tamo Junto” é uma boa comédia sobre um cara que curtir a vida e um nerd que quer se encontrar no mundo. Fora isso, não há mais nada para se esperar.

Apesar da atuação de Sophie Charlotte não ser maravilhosa, ver ela cantando é sempre um atrativo à parte. O rap que é feito no filme é muito bom!

“Tamo Junto” estreia hoje, 08/12 e merece ser visto sem compromisso. É um filme de comédia e nada além disso.



1 comentários:

  1. Eles começaram com as comédias, depois terror e agora adolescência escrachada! Pior que os roteiros são inspirados em filmes americanos de 15 anos atrás! Desse jeito, em 2025 estaremos vendo filmes de heróis brasileiros!!! kkk

    Adorei seu blog! Estou seguindo! Se puder retribuir eu agradeço muito! Bjus!

    http://elavestepreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir