Resenha | O Último Virgem

Filme: O Último Virgem

Estreia: 01 de dezembro de 2016 (1h22min)
Direção: Rilson Baco, Felipe Bretas
Roteiro: Lipe Adler, L.G. Bayão
Classificação :



Sinopse: Dudu é um garoto tímido que, no último ano do Ensino Médio, ainda é virgem. Esta situação faz com que ele seja alvo constante de piadas vindas de seus amigos inseparáveis: Escova, Borges e Gonzo. Um dia, ao término do ano letivo, ele é convidado pela professora Débora a ter aulas extras na casa dela. A situação logo faz com que Dudu e seus amigos acreditem que ela esteja dando em cima do garoto, que se preocupa mais do que nunca com sua inexperiência sexual. 

 Resenha


O Último Virgem é um filme fácil e complicado de resenhar. 

Em resumo, vamos pensar assim: o filme é um besteirol brasileiro, que veio às telonas para nos fazer rir sem nos preocuparmos com profundidade ou roteiro. 

O fato é que ele cumpre o que promete então, se estão procurando uma comédia, para assistir e sair do filme lembrando apenas que deu boas risadas, assista. 

O filme é roteirizado baseando-se na perspectiva de que tudo deve convergir para o riso ou banalidade. Começamos com uma típica cena do cinema americano do jovem Dudu (Guilherme Prates) se masturbando em seu quarto, debaixo dos lençóis, até que sua linda mãe entra no quarto. Já imagina o que acontece? Bom, acontece  pouco diferente.


Os outros personagens são introduzidos à medida que Dudu segue sua vida. No caminho para escola são apresentados: Julia, amiga que claramente é nossa protagonista, o amor não correspondido de Dudu. Escova (Lipy Adler), Borges (Éverlley Santos) e Gonzo (Christian Villegas), amigos do ainda virgem Dudu. Motivo de gozação dos amigos, o ainda virgem vai entrar numa saga com seus amigos para perder seu “cabaço” antes da festa de encerramento do terceiro ano. 




(Dudu, Gonzo, Borges e Escova)


Tudo tem início quando a professora Débora (Fiorella Mattheis) convida nosso Nerd para “reforçar o conteúdo” em sua casa. Incentivado por seus amigos de que a professora quer dar aulas práticas de “biologia”, Dudu fica louco para ter seu momento com a mulher mais sexy da escola. Como ainda não sabe o que fazer, desesperado ele pede ajuda para seus amigos, que além de sacanear o pobre, vão atrás das melhores escolas de sexo do Rio de Janeiro.


Entre puteiros com mulheres lindas, traficantes ciumentos, garotas de programas com práticas intimidadoras até para os mais experientes em matéria de sexo, a procura por camisinha em uma farmácia com velhinha quase morta, drogas, o verdadeiro motivo do seu colega se chamar Escova e outras situações adversas, Dudu ainda se encontra virgem haha.



No fim, nosso protagonista se encontra num dilema, ele ainda quer virar moço com a professora gostosa, sendo só uma transa banal, ou com a menina que ele ama?

O que ele não deixa de fazer até o último momento é entrar em confusão e nos arrancar boas risadas. Na cidade luz, não faltam risadas. Nosso American-pie brasileiros está em cartaz no cinema para arrancar risos de quem gostar de um filme descontraído com “cabaço mais resistente do Rio de Janeiro”.
 

1 comentários: