Crítica: Beleza Oculta (Collateral Beauty)

Título:  Beleza Oculta
Diretor:  David Frankel
Roteiro:   Allan Loeb
Elenco: Will Smith, Kate Winslet , Keira Knightley, Edward Norton, Helen Mirren, Naomi Harris, Michael Peña, Jacob Latimore.
Distribuidora: Warner Bros
Data de lançamento: 26 de janeiro de 2017.
Duração: 1h 37 min
Classificação:     No automatic alt text available.
Sinopse:
Após uma tragédia pessoal, Howard (Will Smith) entra em depressão e passa a escrever cartas para a Morte, o Tempo e o Amor - algo que preocupa seus amigos. Mas o que parece impossível, se torna realidade quando essas três partes do universo decidem responder. Morte (Helen Mirren), Tempo (Jacob Latimore) e Amor (Keira Knightley) vão tentar ensinar o valor da vida para o protagonista.


                                                                        Crítica 


O talentoso Will Smith já demonstrou a sua versatilidade em vários gêneros, mas no drama a sua atuação mais memorável foi em À Procura da Felicidade, uma tocante cine biografia sobre a vida de Chris Gardner. O argumento do drama ficcional Beleza Oculta segue na via contrária, retrata a vida de um homem após perder o que lhe fazia feliz. Esse homem é Howard Inlad, dono de uma importante agência de publicidade. Will Smith o interpreta com uma angústia incontida, sem os contrapesos positivos que haviam no seu personagem de À Procura da Felicidade. 



Howard não tem muitas camadas como personagem; sua situação é compreensível, porém sua infelicidade profunda é tocante. Os contrastes de cores entre algumas cenas deixam evidente o quanto essa personagem está desconectada do mundo e habita em sua dor. Desconectada inclusive da sua agência de publicidade, o que preocupa seus amigos Whit Yardshaw (Edward Norton), Claire Wilson (Kate Winslet) e Simon Scott (Michael Peña), que também são seus colegas de trabalho. Desiludido, imerso em sua solidão e desconsolo, o publicitário escreve cartas para a Morte, o Amor e o Tempo. 


A sinopse fornecida deixa muito a desejar ao introduzir o filme e essa surpresa pode causar desconforto para o espectador. Uma das coisas que colabora com isso é que o filme se passa na época natalina, o que lembra bastante o livro Um Conto de Natal, de Charles Dickens, em que um homem muito rico e egoísta recebe a visita dos fantasmas do Natal, fazendo-o rever as suas condutas - essa obra ficou mais conhecida no Brasil depois do especial de Natal do Mickey Mouse. 



As entidades Amor, Morte e Tempo (vividos respectivamente por Keira Knightley, Helen Mirren e Jacob Latimore) não são caricatos - nem aos fantasmas do Natal de Charles Dickens nem às versões que as representam no imaginário popular -, e os diálogos com o personagem principal são por vezes teatrais e poéticos. 


A câmera geralmente foca no rosto dos atores, buscando apreender ao máximo suas expressões e o que surge nas entrelinhas. 


Beleza Oculta é um filme passional que tenta mostrar que há uma outra forma de ver a vida entre as nossas angústias e frustrações; uma lente compensatória pela qual é possível enxergar o que ainda vale a pena no mundo, mesmo que o mundo pareça apenas dor ou que a dor se torne o próprio mundo para uma pessoa. 

Entretanto, apesar da boa premissa e do ótimo elenco, o filme peca em ser previsível. A mensagem principal que o filme tenta transmitir pode ser compreendida, mas para um espectador que não vá preparado para o que vai assistir, pode acabar sendo enfadonho e entediante. É uma pena que um elenco tão primoroso não tenha sido aproveitado com um roteiro que poderia ser muito melhor. De qualquer forma, suas atuações não deixam a desejar.



                                                      Por: Lucas Nascimento

3 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Adorei a postagem, é sempre bom sabermos a opinião dos outros antes de vermos algum filme, para não irmos com tanta expectativa. É uma pena que a estória seja previsível, né?!

    *Seguindo seu blog
    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa ! Tudo bem xD.

      A estória comove mas não emociona tanto assim, é um filme regular. Obrigado pelo seu comentário, fico muito feliz por vc ter gostado da postagem e mais ainda por vc seguir o blog.

      Beijos ^^

      Excluir
  2. Vou assistir esse filme *_*.Ótima crítica!

    ResponderExcluir