Resenha: Memórias da Princesa - O Diário de Carrie Fisher | Carrie Fisher

Título: Memórias da Princesa - O Diário de Carrie Fisher
Autor:  Carrie Fisher
Editora: Best Seller
Número de páginas: 224
Classificação: 
Sinopse: Um relato íntimo e revelador de Carrie Fisher, a Princesa Leia de Star Wars. Carrie Fisher era uma jovem atriz iniciante quando foi chamada por George Lucas para interpretar o papel que mudaria sua vida: a Princesa Leia, de Star Wars. Inexperiente, Carrie se viu imersa em um ambiente pouco acolhedor, e buscou refúgio em diários que mantinha ao longo das gravações dos filmes. Em “Memórias da princesa: Os diários de Carrie Fisher”, a atriz conta seus melhores e piores momentos ao longo das filmagens de Star Wars e a relação que mantinha com os colegas de trabalho, além de trazer detalhes inéditos sobre sua vida pessoal e sobre como o filme mudou completamente seu modo de viver.




                                                – Resenha –



“Se alguém ler isto quando eu tiver passado para o grande e cruel além, vou ficar póstuma e comicamente envergonhada.”

De verdade? Eu nem sei como falar sobre esse livro. Carrie Fisher é alguém que vejo o rosto desde sempre. Eu cresci vendo Star Wars e cresci amando a Princesa Leia. Cresci querendo ter pelo menos um pouco do #girlpower dela. Então, um pouco antes de Carrie se juntar à Força no finalzinho de 2016, descobri que este livro seria lançado o Brasil e já fui correndo procurá-lo para poder ler.

“Sou uma pessoa que deseja muito ser popular. Não quero apenas que você goste de mim: quero ser um dos seres humanos mais indutores de alegria que você já conheceu. Quero explodir no seu céu noturno como fogos de artifício à meia-noite no réveillon de Hong Kong.”

Quando Fisher achou seu diário da época das gravações de Star Wars, resolveu escrever um livro e divulgar alguns textos desse diário. Ela conta como tornou-se atriz, fala sobre seus pais (principalmente a mãe, que foi quem mais a influenciou), relata como ela conseguiu o papel de Leia e também sua reação. Depois temos histórias das gravações, aniversários do George Lucas, e, claro, o caso com Harrison Ford. Nos capítulos finais do livro, comentários da Carrie Fisher nesses 40 anos depois de tudo.

“Quem você quer que pensem que você é? Como você acha que as pessoas te veem? Ou você não as deixa perto o suficiente para ver? Você decide por eles. Você acha que é bem-sucedido em convencer as pessoas de que você é o que parece ser?”

É muito bom ter mais de Carrie Fisher pra matar a saudade. Conhecer mais sobre ela e também sobre o Universo Star Wars, que é eterno. Então, obviamente, recomendo esse livro pra quem curte ela, ou Star Wars, ou os dois. É uma boa lembrança, faz a gente rir muito. E também ficar com dó, pois Carrie apaixonou-se perdidamente por Harrison Ford (que era casado na época)

“Filmes foram feitos para ficar na tela, plana, larga e colorida, reunindo-nos às suas histórias arrebatadoras, conduzindo-nos alegremente até o seu fim, e então nos liberando de volta às nossas vidas. Mas aquele filme se comportou mal. Escoou dos cinemas, vazou da tela, afetou as pessoas tão profundamente que elas precisaram de infinitos talismãs e artefatos.”

0 comentários:

Deixe seu comentário