Resenha: Como Nascem os monstros I Rodrigo Nogueira

Título: Como Nascem os Monstros
Autor: Rodrigo Nogueira
Páginas: 575
Editora: TopBooks
Classificação: 

Sinopse: 

Rafael era um jovem que queria servir e proteger a população, além, é claro, de uma carreira estável. Entrou para o serviço militar, mas viu que seu futuro estaria na PMERJ. Após aprovado no concurso, ingressou na academia da PMRJ. Já ali, Rafael viu que o treinamento recebido era cheio de falhas e que não preparava o recruta da maneira correta. Rafael iria descobrir que esse era só o início de uma jornada que levaria a ele e a outros jovens a um caminho sem volta.




                                                         Resenha



 O livro Como Nascem os Monstros, de Rodrigo Nogueira, é um verdadeiro retrato sobre a trajetória de um recém admitido recruta idealista e honesto na PMERJ até o mesmo estampar os jornais em mais uma acusação de brutalidade e/ou corrupção no cumprimento de seu dever.

Uma obra literária nacional de qualidade, narrado em primeira pessoa, publicado pela editora Topbooks.

Rodrigo Nogueira é um ex-PM condenado por supostamente ter extorquido, estuprado e tentado assassinar uma vendedora.

O autor assume a autoria de vários crimes contra a sociedade, porém, o crime que o levou à prisão é justamente o que ele nega ter executado. Para expor tudo de podre que ocorre dentro da PMERJ e mostrar sua versão, ele cria o personagem Rafael, um recruta recém ingresso na academia da PMERJ. Rafael sonhava em proteger a população, mas descobriu da pior maneira possível, que o sistema não permitiria isso. Depois de ler Como Nascem os Monstros, o Elite da Tropa vai parecer um livro de fantasia.


Apesar de ser uma história baseado em um fato, o livro passa longe de ser uma biografia. Rodrigo optou por juntar à sua história a outros causos que presenciou ou ouviu sobre, durante seu período como PM.



Com uma escrita fluente, Rodrigo nos faz ver a PMERJ com outros olhos. Você não aceita, mas entende o caminho para o qual Rafael se desvia. Com uma história crua, violenta e com cheiro de pólvora, o autor quebra a "omertá" policial e joga tudo no ventilador.


                                                 Por : Carlos Lacerda                 

0 comentários:

Deixe seu comentário