Resenha: A Dança da Morte | Stephen King


Título: A dança da Morte
Autor : Stephen King
Editora : Suma de Letras
Páginas : 1247
Classificação : Nenhum texto alternativo automático disponível.
Sinopse : Uma poderosa arma biológica, conhecida formalmente como Projeto Azul ou "Capitão Viajante", acaba presumivelmente com grande parte da população do planeta. Apenas uma pequena parcela da população é resistente ao vírus, que é extremamente mortal. A primeira parte do romance abrange 19 dias e discorre sobre a quebra e destruição da sociedade em cenas bastante gráficas. O romance prossegue, na parte dois, entrelaçando odisséias da travessia do país de um pequeno número de sobreviventes, incluindo uma estudante colegial grávida (Frances Goldsmith), um trabalhador de fábricas desempregado do Texas (Stuart Redman), um errante com ensino superior (Harold Lauder), um viajante surdo-mudo (Nick Andros), um músico pop insatisfeito (Larry Underwood), e um professor de sociologia pessimista (Glen Bateman). Eles se afogam juntos por seus sonhos compartilhados de uma mulher psíquica idosa que eles viam como um refúgio. Esta mulher, Abigail Freemantle (conhecida como 'Mãe Abigail'), se torna a líder espiritual dessa turma de refugiados, que tentam reestabelecer uma sociedade democrática na cidade Boulder, do Colorado. Enquanto isso, outro grupo de sobreviventes incluindo um ladrão de bens públicos, um incendiário (Trashcan Man), e o ex-chefe do Departamento de Polícia de Santa Monica são impelidos a Las Vegas, Nevada, por outra entidade, um ser mau e sobrenatural conhecido como Randall Flagg, o "homem negro," ou o "homem andante." O comando de Flagg é tirânico e brutal, ainda que efetivo. Na parte três, o palco final é montado quando os dois grupos tomam consciência de si, e cada um reconhece o outro como uma ameaça para sua sobrevivência, levando à resistência do bem contra o mal, envolvendo uma arma nuclear perdida



                                                Resenha


Dança da morte foi o primeiro livro do Stephen King que eu li e foi o suficiente para eu me tornar fã do autor. 

O que me levou a este livro foi o filme/série dirigido e adaptado por Mick Garris, que contava a história do livro. Após assistir ao filme, fiquei maluco para ler o livro.

O livro é realmente muito bom, pois é completo. Além do já conhecido lado misterioso do autor, no livro têm espaço para alegorias, fantasias, comédias, sátiras, sarcasmo, aventura, entre outros tipos literários.

 E é indispensável para todos que gostam de livros pós-apocalíptico. É um livro eletrizante e cativante.

O embate entre o bem e o mal é muito bem amarrado e original, mesmo sendo um tema muito comum, muito retratado. King sabe como aprofundar um personagem como poucos, nos fazendo assim nos envolvermos totalmente com a história e com os personagens.

Recomendo também, após a leitura do livro, assistirem ao filme. É antigo (O filme foi lançado em 94), mas é muito bem feito, mesmo com as limitações orçamentárias e tecnológicas.

0 comentários:

Deixe seu comentário