Resenha: Mago e Vidro - A Torre Negra #4 | Stephen King

Título: Mago e Vidro - A Torre Negra #4
Autor:  Stephen King
Editora: Objetiva
Número de páginas: 816
Classificação: 
Sinopse: A estranha e inesquecível odisséia de Roland de Gilead em busca da Torre Negra continua. No quarto volume da série imaginada por Stephen King, novos perigos ameaçam o ka-tet de Roland - formado por Jake, Eddie Dean, Sussanah e Oi.
Mago e Vidro retoma a eletrizante narrativa interrompida em As Terras Devastadas. Depois de enfrentar a terrível ameaça do monotrilho Blaine, o último pistoleiro e seus seguidores desembarcam na cidade de Topeka, no Kansas, e retomam o caminho do Feixe de Luz que conduz à Torre Negra. Roland revela então aos companheiros a história de seu passado, e a trágica perda de seu grande amor de juventude, a bela Susan Delgado.
Prosseguindo em sua jornada, o ka-tet chega a um palácio de vidro verde onde encontra ninguém menos do que o antigo nêmesis de Roland: Marten Broadcloak, conhecido em alguns mundos como Randall Flagg, em outros como Richard Fannin, e em outros ainda como John Farson, o Homem Bom. E Roland e seus companheiros descobrem então uma pavorosa verdade sobre o passado do pistoleiro...

Inspirada no universo imaginário de J.R.R. Tolkien e no poema épico do século XIX "Childe Roland à Torre Negra Chegou", A Torre Negra mistura ficção científica, fantasia e terror numa narrativa que forma um verdadeiro mosaico da cultura popular contemporânea.



                                                – Resenha –

“Não é preciso viver o problema antes de o problema começar.”
Vamos, então, continuar a jornada para A Torre Negra!!! Como já disse, O Pistoleiro — A Torre Negra #1, é mais sério, um pouco confuso e não explica muita coisa; A Escolha dos Três — A Torre Negra #2, é mais bem-humorado e cheio de ação, começando a entrar melhor no(s) mundo(s) e nos explicando melhor algumas coisas; As Terras Devastadas — A Torre Negra #3, é uma união entre a narrativa séria do primeiro livro com a narrativa frenética e bem-humorada do segundo.

Agora, em Mago e Vidro, temos um livro enorme, de 800 páginas. E sim, a gente sente essas 800 páginas, é cansativo. Mas esse livro é muito bom!!! Ele continua no mesmo estilo do terceiro, só que é mais dramático. E já que não é mais spoiler, QUE LEGAL, ADOREI QUE O JAKE VOLTOU! :D

“ — Há outros mundos além destes — disse Eddie. — Lembra? — Algumas coisas podem só existir num deles. Num determinado onde, num determinado quando.”

Por enquanto, esse é meu livro preferido da série. Mago e Vidro é como uma história dentro da história, nos apresentando num grande flashback os outros amigos de Roland: Cuthbert e Alain, e também seu grande amor, Susan. Ou seja, chegamos no momento em que o passado de Roland é contado, e agora conseguimos entender suas motivações. Nós observamos todo seu sofrimento quando ele conta tudo para seu novo ka-tet, e sofremos juntamente com Eddie, Susannah, Jake — e Oi.

“Há três coisas que podemos fazer em qualquer situação, garota (…) você pode decidir fazer uma coisa, você pode decidir não fazer uma coisa… ou você pode decidir não decidir.”

O legal de Mago e Vidro é ver King contando uma história de amor em meio a todo o suspense e terror da busca à Torre Negra. É maravilhoso o modo que ele consegue dosar o drama, o humor e o romance. Acabamos esse livro com gostinho de quero mais, adorando o fato de conhecermos melhor O Pistoleiro (finalmente!)

“O motivo principal era ter a mente e o coração pesados demais. Se aquilo fazia parte da experiência de se tornar adulto, teria preferido continuar sempre como criança.”

0 comentários:

Deixe seu comentário