Resenha: Sétimo | André Vianco

Título: Sétimo
Autor: André Vianco
Editora: Aleph
Páginas: 455
Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível. Nenhum texto alternativo automático disponível.
Sinopse: Após acordar seis vampiros portugueses vindos em uma caravela do "Rio D'Ouro" e resgatar sua namorada Eliana da Caravela da garra de quatro desses vampiros, com a ajuda do vampiro Miguel, o Gentil, Tiago e Cesar buscam encontrar o mais perigoso deles, Sétimo. Tiago, que procura aprender a conviver com seu novo estado de semi-humanidade, com a ajuda de César, desperta o vampiro, como uma guarda contra o vampiro Lobo que ainda está solto e assombrando as ruas de Rio Grande do Sul. Entretanto, esquecem das várias advertências a respeito do vampiro mais perigoso. Tiago conseguirá equilibrar a balança entre a sua humanidade e controlar a sede de sangue do vampiro Sétimo?

Drops:

Antes de falar de Sétimo, precisamos passar pelo livro anterior, Os Sete - falamos dele aqui

Os Sete conta a história de quatro amigos - Tiago, César, Olavo e Eliana - que, por acidente, descobrem sete corpos em uma caixa de prata. Acidentalmente, Eliana, historiadora da UFRS, deixa cair uma gota de sangue e acorda um daqueles corpos, descobrindo posteriormente que eram vampiros.

André Vianco inseriu vampiros diferentes do que a cultura pop da época - o livro é antigo e, para vocês terem idéia, tenho a primeira versão do livro "O sétimo" - tendo como base os filmes "Entrevista com vampiro", "Um drink no inferno" e até Drácula de Bram Stoker, acrescentando habilidades mais que especiais a cada uma das sete criaturas, dando para identificar algumas delas através dos nomes vampíricos: Inverno, Tempestade, Espelho e Lobo e outras habilidades não são tão claras - Acordador, Gentil e Sétimo. 

A história se passa em vários locais no Brasil, no vilarejo de Amarração (RS) onde a história começa, passando por Porto Alegre (RS) indo para São Paulo - especialmente a região de Osasco. Com vários detalhes e descrições que faz com que o leitor que reconhece as paisagens visualize as cenas descritas magistralmente pelo autor. 

Além disso, o autor estabelece, dentro de suas regras literárias, a fragilidade dos seres humanos e, por um determinado período, o espanto dos vampiros portugueses com a capacidade de se reinventar e criar novas tecnologias - transmitida através dos olhos do vampiro Lobo.

Acho que com essa pincelada, tentando só revelar o básico do mundo de André Vianco, podemos passar a falar sobre a continuação dessa obra-prima e percursora de várias outras na literatura fantástica.

Resenha: 

A história continua com o despertar do vampiro mais perigoso - Sétimo, com o sangue do amigo de Tiago, César. Sétimo tem o mesmo espanto com a época em que ele se encontra, mas continua tendo o objetivo de montar uma dinastia vampírica e encontra em Tiago, um general com capacidade para liderar seu exército. Entretanto, na mesma medida que Tiago se deslumbra e é atraído pelo poder de Sétimo, também encontra dentro de si algo humano que alerta o perigo que aquele vampiro representa.

Por outro lado, outro vampiro que não estava na caravela explodida, Lobo tenta criar uma matilha para se proteger e caçar o humano que o enganou em Rio Grande do Sul, aplicando um golpe quase fatal. Além de procurar vingança, também tem um medo irracional da sede de sangue do irmão e sabe que, mais cedo, ou mais tarde, ele virá querendo vingança.

Alguns personagens novos são acrescentados a trama. 
Tobia - antepassado de um caçador de vampiros. Testemunhou as inúmeras barbáries cometidas pelos vampiros e agora, todas as lendas passadas de geração em geração de sua família se tornam realidade e ele tem que combater o mal que assola as terras brasileiras - e Dimitri, que era um matador de aluguel, com seu próprio código de honra, com habilidades na arte da guerra. Juntos eles formam uma equipe improvável de caça-vampiros. 

As vampiras Alexia e Paola, serviçais e rainhas de Sétimo, conquistadas e exibidas como troféu do poderoso vampiro, além do próprio diabo, inserido na trama para que, bom, deêm um presente a Tiago (acho que melhor que isso só se contasse a história do livro mesmo). 

Concluindo:

A história dos vampiros do Rio D'ouro presenteou a cada leitor que, no início dos anos 2000 carecia de um livro de fantasia puramente brasileiro. Naquele momento, os leitores até tinham um certo preconceito. Essas duas histórias são importantíssimas para a literatura fantástica brasileira, pois abriram portas para outros autores se destacarem - Raphael Draccon, Carolina Munhoz, Eduardo Spohr, Leonel Caldela - além de mostrar que o leitor brasileiro também gosta de ler coisas relacionadas ao mercado editorial de literatura fantástica brasileira. 

Considerando isso, além do livro ser extremamente viciante. Li algumas vezes já e não me canso dos livros do autor, fica a recomendação. Caso o leitor queira acompanhar um arco fechado dessas histórias, é um cânone de cinco livros, iniciando por "O senhor da chuva", "Os sete", "Sétimo" e "Filhos da noite" (vol 1, 2, 3 - sendo que também tem em volume único). Esses cinco livros fazem uma linha temporal perfeita e interessante para quem quer se aprofundar na história desses vampiros mágicos que tanto revolucionaram a literatura fantástica brasileira.


Escrito por Alvaro Dias

0 comentários:

Deixe seu comentário