Top 10: Agatha Christie

E mais uma vez, lá vou eu falar da minha autora preferida, a verdadeira Rainha da Inglaterra (sorry, Elizabeth!). Ok, eu já citei a Agatha Christie em muitas resenhas, mas acho que ainda não escrevi sobre ela aqui no blog. Então, para corrigir essa falha, vou logo falar sobre as 10 histórias da Agatha Christie que eu mais gostei de ler!



Título: A Terceira Moça
Sinopse: Uma jovem chamada Norma Restarick procura Poirot para dizer-lhe que pensa que cometeu um homicídio. No entanto, ela vai embora logo em seguida, porque acha que ele é velho demais para ajudá-la.
Poirot tenta descobrir quem é a garota e, uma de suas primeiras descobertas, é que ela conhece a sua velha amiga Ariadne Oliver, autora de romances policiais. Ao refazer os passos da garota, Ariadne descobre que ela divide um apartamento em Londres com duas outras jovens(Claudia e Frances), por isso ser chamada de "terceira moça". Além disso, tem um pai e uma madrasta com os quais não tem um bom relacionamento, e um namorado suspeito, chamado David Baker.
Enquanto Poirot e Ariadne investigam, vêm à tona vários fatos sobre os amigos e familiares da moça, tramas paralelas, ligações, e mais mistérios. O detetive acha que todos os fatos são peças de um quebra-cabeça, porém não consegue formar o quadro completo e extrair a verdade.
Afinal de contas, quem morreu? E como? Foi mesmo ela quem matou? Se não, por que acredita que sim? O que há por trás de tudo isso?
Opinião:  Sabe que eu comecei a ler esse livro e peguei uma birrinha da Norma, porque ela é uma das personagens MAIS CHATAS que eu já vi na vida. Ainda assim queria saber se ela tinha ou não matado alguém. E de repente, ela não era realmente chata e tudo fez sentido. 

TítuloUm Corpo na Biblioteca
Sinopse: Não era sonho. Na verdade, mais parecia um pesadelo: o corpo de uma bela e desconhecida jovem jazia na biblioteca da família Bantry. Com o caos instaurado em sua casa, Dolly Bantry só conseguia pensar em uma pessoa para lhe ajudar: Miss Marple. Conhecida por desvendar os mais curiosos acontecimentos na pacata St. Mary Mead, a adorável velhinha percebe desde o início que há alguma coisa errada naquela biblioteca. Durante anos Agatha Christie planejou escrever um livro sobre um crime em uma biblioteca, até que, de férias no litoral inglês, encontrou a inspiração que faltava. Um corpo na biblioteca – publicado em 1942 –, é considerado por fãs e especialistas um dos melhores mistérios de Miss Marple.
Opinião:  Um dos primeiros livros que eu li da Agatha e o primeiro com a Miss Marple. É uma cena clássica: um assassinato em uma biblioteca. Todo mundo que jogou Detetive na infância entende o significado dessa cena!

TítuloAssassinato no Expresso do Oriente

Sinopse: Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve para o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Um americano é encontrado morto em sua cabina, com doze facadas, e a porta estava trancada por dentro. Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime.
Opinião:  Também foi um dos primeiros livros que eu li e além do mistério tão elaborado, ainda traz uma discussão ética sobre como nem sempre a verdade é a melhor respostas e em algumas ocasiões - raras sim - uma mentira pode trazer menos conseqüências.


TítuloHora Zero

Sinopse: Triângulos amorosos abundam entre os convidados de Lady Camila Tressillian. Mr. Treves começa a falar de crianças assassinas e de crianças matando-se umas às outras. Em seguida ele morre, aparentemente de ataque cardíaco. Aí, a própria Lady Tressillian aparece morta também. Entra em cena o superintendente Battle, da Scotland Yard, que com a ajuda de seu sobrinho e inspetor James Leach e dispondo de cinco dados coerentes mas que não revelam o culpado, busca a solução do mistério.
Opinião:  Esse livro é praticamente um passo a passo de como se cometer um assassinato a la Agatha Christie (não tentem isso em casa, crianças! Só funciona nos livros!). Ou melhor dizendo: nem nos livros funciona, porque nossa Rainha não ia deixar um assassinato por resolver e um criminoso à solta por aí!


TítuloO Mistério de Sittaford
Sinopse: O inverno enseja divertidos jogos de salão. Mas aquele inverno suspreenderia seis moradores de uma pequena localidade campestre que se entretinham com uma brincadeira curiosa: a levitação de uma mesa. É anunciado um assassinato. O nome do capitão Trevelyan é pronunciado, e as batidas da mesa revelam as letras fatais da palavra MORTO. O pânico se instala e cresce quando, uma hora depois, o velho capitão é encontrado morto em seu escritório, com o crãnio fraturado. De que trama macabra Trevelyan, próspero proprietário da Casa de Sittaford e dos seis bangalôes da redondeza, teria sido vítima? 
Opinião: Vamos ver: recém-chegados suspeitos? Confere! Um acusado que jura inocência? Confere! Um toque sobrenatural? Confere!


TítuloOs Crimes ABC
Sinopse: Há um serial killer à solta, matando suas vítimas em ordem alfabética. A única pista que a polícia tem é um macabro cartão de visitas que o assassino deixa em cada cena do crime: um guia ferroviário aberto na cidade onde a morte acontece. 
A Inglaterra inteira está em pânico com a sucessão de crimes – A: Alice Ascher, em Andover; B: Betty Barnard, em Bexhill; C: Sir Carmichael Clarke, em Churston – e o assassino vai ficando mais confiante a cada morte. Seu único erro é pôr à prova o orgulho de Hercule Poirot, um erro que pode ser mortal.
Opinião: É um livro sobre um serial-killer com TOC! Tem como ser melhor do que isso? Tem! É mais um dos mistérios resolvidos pelo nosso detetive bigodudo preferido!


TítuloPor que não pediram a Evans?
Sinopse: Em Por que Não Pediram a Evans?, publicado originalmente em 1934, Agatha Christie põe em cena os espirituosos Lady Frances Derwent e Bobby Jones. Bobby, em meio a um jogo de golfe, encontra um homem moribundo, aparentemente caído de um penhasco. Dos lábios do estranho saem as inusitadas palavras que dão título ao livro e que lançam o casal de amigos numa investigação. Mal sabem os detetives amadores que sair indagando sobre a possível identidade de Evans e sobre o que não foi pedido a este e algo que colocará suas próprias vidas em perigo.
Opinião: Essa pergunta é um tormento nesse livro: "por que não pediram a Evans?". Mas não um tormento de forma ruim, sabe? Mas realmente a gente só descobre quem é Evans e sua importância bem no finalzinho. Nada melhor para atiçar a curiosidade do leitor! E Lady Frances e Bobby são ótimos! Adorei os dois! 

TítuloO Misterioso Caso de Styles

Sinopse: O primeiro e um dos mais famosos mistérios solucionados por Hercule Poirot, o caso Styles começa quando uma aristocrata inglesa morre trancada em seu quarto, vítima de um aparente ataque cardíaco. A coisa ficaria por aí, não fosse a suspeita de envenenamento levantada pelo médico da família.
Opinião: Ah! O primeiro caso do Poirot. Como não estaria nesse pódio, não é mesmo? E ainda mais porque esse mistério é realmente um dos melhores! É tudo tão óbvio, mas também é tão impossível que seja tão óbvio que começamos a inventar mil teorias mirabolantes. A solução desse mistério é uma boa representação da máxima "menos é mais".

TítuloA Casa Torta

Sinopse: Aristide Leonides é um octogenário grego riquíssimo imigrado na Inglaterra. Construiu a “casa torta” para habitar com toda a família: sua esposa, cinquenta anos mais jovem; dois filhos; duas noras; três netos; e uma cunhada, irmã da sua primeira esposa.
A casa era assim chamada não só pela sua particular arquitetura, como também pelas características dos seus habitantes. A neta mais velha, Sophia, é namorada do filho do inspetor chefe da Scotland Yard e, quando o avô é assassinado com uma injeção letal de um veneno de efeito quase instantâneo, o casal se empenha em investigar para descobrir o culpado. O principal suspeito, naturalmente, é a jovem viúva.
Toda a família deseja que ela seja mesmo a culpada... Mas o que acontecerá se o responsável pelo crime for um deles?
Opinião: Esse é um livro ousado! Em entrevistas, Agatha Christie dizia que era o livro que ela mais se divertiu ao escrever e isso realmente transparece em cada página. As personagens são todas muito vívidas e o Aristide é uma presença marcante (mesmo estando morto). A resposta do mistérios está logo no começo da história, se a gente parar para pensar. E é... dá o que pensar. 

TítuloO Caso dos 10 Negrinhos

Sinopse: Oito pessoas de diferentes classes sociais são convidadas para passar as férias em uma mansão na Ilha do Negro por um Sr. e Sra. U. N. Owen. Ao chegarem, o mordomo e sua esposa, Thomas e Ethel Rogers, dizem que os anfitriões não estão ainda na ilha. Nos seus respectivos quartos, cada hóspede encontra um retângulo de pergaminho emoldurado em cromo com uma cópia do poema "Os Dez Negrinhos" na parede.
Opinião: Também conhecido pelo título "E Não Sobrou Nenhum", esse livro é a mais genial obra da Rainha do Crime! Não tem como escolher outro para o primeiro lugar. São vários assassinatos que seguem direitinho os versos do poema. E no final... não sobrou nenhum a gente fica se perguntando "COMO ASSIM?!". Não deixem de ler!

Claro que eu ainda tenho MUITAS outras histórias da Agatha para ler, já que ela foi uma escritora extremamente produtiva, mas esse é o meu top atual e isso pode mudar em algum momento... Veremos...

0 comentários:

Deixe seu comentário