Jogos Maníacos: Braid


Título: Braid
Empresa: Number None
Lançamento: 2008
Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível.

Sinopse

Hoje falaremos de Braid, e como as suas mecânicas desafiam os padrões dos jogos e demonstram o grande potencial dessa mídia que pode ser utilizada para propósitos diversos.

Resenha

Apesar de ter sido feito em 2008, Braid teve repercussões na área dos games tão grandes que reverberam até hoje. O seu idealizador, Jonathan Blow, o criou como uma crítica pessoal ás tendências dos jogos. Talvez seja por isso que a experiência de jogar Braid seja tão peculiar.

O estilo do jogo é definido como plataforma e puzzle. Se você não sabe o que é um jogo plataforma, pense em jogos como Mario Bros ou Sonic, enquanto puzzles, ou enigmas na tradução literal, são jogos onde é necessário resolver os problemas que se apresentam criando estratégias, sendo preciso refletir sobre como resolvê-los.

Mas o que tem de diferente nesse jogo?


Para começo de conversa, não existe game over. Ou seja, teoricamente não há como perder. Desta forma se torna perceptível que este é um jogo muito mais focado em fazer você refletir em como ultrapassar as barreiras apresentadas do que criar o medo de não chegar ao fim por falta de oportunidades. Desta forma a narrativa se desenrola contando a história de Tim que precisa salvar a princesa que foi raptada por um terrível monstro.

Tim ganha o poder de controlar o tempo, e por isso ele é capaz de ir e voltar quantas vezes quiser em suas ações. Os níveis são divididos por mundos e cada um tem a sua mecânica diferenciada, o que te leva a encontrar objetos que não são afetados pelo tempo ou fases onde você terá que colaborar com sua sombra.

O mais bonito neste jogo, além de suas músicas e gráficos, é a forma que a narrativa, o estilo de jogo e as mecânicas se misturam, chegando ao ponto de não ter como separá-los. Dentro dele tudo é um desafio á se resolver, mesmo a história se abre para diversas interpretações. O próprio desenvolvedor disse que não tinha como pôr em palavras sobre o que o jogo fala.

Por isso existem várias especulações. Alguns dizem que o jogo faz uma referência poética sobre correr sempre atrás de seus objetivos, outros que é sobre obsessão ou até que se trata da história da bomba atômica. Talvez esse jogo conte todas essas histórias ao mesmo tempo, a única coisa que sei é que resgatar a princesa nunca foi o objetivo.

Abaixo segue o trailer do jogo seguido de um video que fala um pouco das especulações criadas através da história contada em Braid.

Braid - Number None - 2008



Aviso
o video abaixo está em inglês e contém spoilers


0 comentários:

Deixe seu comentário