Resenha: Resident Evil: A Conspiração Umbrella #1 | S. D Perry

Título: Resident Evil - Vol.1 - A conspiração Umbrella
Autora: S. D. Perry
Editora: Benvirá
Páginas: 230
Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível. Nenhum texto alternativo automático disponível.
Sinopse: Ao investigar alguns incidentes canibalistas na floresta de Raccoon, próximo as montanhas Arklay, a equipe Bravo dos S.T.A.R.S (Special Tactics And Rescue Squad - Esquadrão Especial de Táticas e Resgate) é designada para investigar, mas ela perde o contato de rádio. Então, a equipe Alfa é designada para encontrar a equipe Bravo, mas acaba achando uma mansão inabitada no meio das montanhas. Aquela mansão garantirá a equipe Alfa vários pesadelos inomináveis...



Disclaimer...

Primeiramente, antes de falar sobre Resident Evil, essa série literária que teve origem nos games, há 20 anos atrás, é necessário dizer que os livros ainda continuam sendo escritos. Seguindo a rotina do jogo. Atualmente, os livros pararam no jogo "Resident Evil: Code Verônica", mas o cânone da obra "video-gamistica" possui vários outros jogos e alguns que são dignos de grandes obras de terror e que provavelmente, continuarão sendo escritos. Dito isso, vamos falar a respeito do primeiro livro...

Resenha:

A história de Resident Evil - A Conspiração Umbrella, se passa em uma cidadezinha suburbana. Raccoon City nasceu devido as instalações da empresa farmacêutica Umbrella, que, na sua "Atividade Econômica", lida com remédios farmacêuticos, mas por baixo dos panos, a empresa empreende para o ramo de experimentos viral. 

Um leve relato do que é a empresa que nomeia o livro. Até para leigos. S. D. Perry transcreve a experiência dos jogadores em explorar a mansão Spencer. Tal fato não desmerece o livro. Pelo contrário, a trama traçada pelos japoneses Shinji Mikami possui um fator humano e emocional muito forte.

Fator humano que é bem explícito pela personagem Jill Valentine e pelo personagem Chris Redfield. Ambos são os personagens principais da trama, cada qual vagando pela mansão e decifrando os inúmeros enigmas para escapar daquele pesadelo, além dos medos e sustos que, no geral, conseguem ser bem transmitidos via leitura.

Durante a narrativa, o leitor conhece também a personagem Rebecca Chambers. Ela é a novata do esquadrão Bravo e, por motivos que eu não vou falar agora (são 07 livros até o momento), não estava junto com seu esquadrão, se encontrando com Chris. Ela aparenta uma fraqueza, mas, quanto mais passa o tempo, mas o leitor se identifica com ela nesse livro. Afinal, os outros membros são treinados e possuem habilidades de luta e tiro, por mais que os terrores sejam inimagináveis, já a Rebecca precisa se virar no meio desse pesadelo.

Vale também comentar a respeito dos enigmas. Antes de cada livro - até o último - um personagem "Trent" dava alguma dicas para o personagem principal lidar com os enigmas do ambiente em que se encontram. Os enigmas são dignos de imaginação e paranóia - é possível pensar que, quem planejou os esquemas não tinha o que fazer...

Enfim, todos esses elementos - personagens carismáticos, mansões cheias de mistérios, "monstros" (chamo de monstros para não dar spoilers) - são capazes de migrarem de uma mídia onde você controla o destino do personagem, para a mídia onde você acompanha a história como um personagem externo. Tal transferência "inter mídias" ocorre de uma maneira primorosa, já que, claramente os medos e sustos, conseguem quebrar a barreira entre as mídias que Resident Evil se encontra... 

Concluindo...

Eu sou um fã de Resident Evil. Daqueles fãs que amam a obra e TUDO o que for lançado, será consumido. Pois bem, os livros são uma das mídias que eu tenho tudo - inclusive, comprei dois exemplares de "A conspiração Umbrella", caso sério de maluquice. 

Dito isso, quero dizer que eu adorei esse primeiro livro. Como jogador, rever os cenários que eu enfrentei e demorei muito tempo pra passar, descritos com perfeição no livro é algo gratificante.

Além disso, o outro livro que eu comprei foi designado pra uma pessoa especial e essa pessoa especial fez a seguinte colocação: "esse livro é diferente do filme né? O livro é bem melhor...", ou seja, é um livro que é tenso, fácil e que o leitor não consegue desgrudar da leitura - até por ser uma leitura relativamente curta.

Pra quem gostar do mundo de Resident Evil, deixo uma dica. O maior portal sobre Resident Evil - Resident Evil Database - que contém tudo, absolutamente TUDO, sobre Resident Evil. Com entrevistas com dubladores, matérias e mais informações sobre o mundo fantástico de Resident Evil. 

E, como eu disse, ainda tem alguns livros para falar sobre Resident Evil, então, vou continuar falando a respeito. Afinal, o mundo é maior que uma mansão - por mais assustadora que ela seja...

E vocês? Já leram alguma obra adaptada de jogo? Gostou? Não gostou? 

Escrito por Alvaro Dias

0 comentários:

Deixe seu comentário