Crítica | A Múmia


Título : A múmia ( 2017)
Direção : Alex Kurtzman
Roteiro : David Koepp, Christopher McQuarrie
Elenco: Tom Cruise, Sofia Boutella, Annabelle Wallis, Russell Crowe, Jake Johnson
Gêneros: Fantasia, Aventura, Suspense
Classificação : 


Sinopse: Na Mesopotâmia, séculos atrás, Ahmanet (Sofia Boutella) tem seus planos interrompidos justamente quando está prestes a invocar Set, o deus da morte, de forma que juntos possam governar o mundo.  Mumificada, ela é aprisionada dentro de uma tumba. Nos dias atuais, o local é descoberto por acidente por Nick Morton (Tom Cruise) e Chris Vail (Jake Johnson), saqueadores de artefatos antigos que estavam na região em busca de raridades. Ao lado da pesquisadora Jenny Halsey (Annabelle Wallis), eles investigam a tumba recém-descoberta e, acidentalmente, despertam Ahmanet. Ela logo elege Nick como seu escolhido e, a partir de então, busca a adaga de Set para que possa invocá-lo no corpo do saqueador.

                                                   Resenha



Quando a Universal Studios resolveu criar um mundo compartilhado dos clássicos de terror já conhecidos, optou por iniciar com a revitalização de um longa aparentemente seguro: A Múmia. Não, este não é um reboot - como estamos acostumados atualmente - e embora não haja nenhuma menção aos anteriores, é evidente a semelhança da trama com os dois primeiros.  

Aqui temos Tom Cruise vivendo Nick Morton, um saqueador inconsequente e egocêntrico cujo único objetivo é encontrar peças valiosas e vende-las para o mercado negro, seu problema real começa quando ele juntamente com seu amigo Chris Vail (Jake Johnson) e a pesquisadora Jenny Halsey (Annabelle Wallis), encontram uma tumba e Nick resolve tira-la do lugar, despertando Ahmanet e toda sua fúria.

O filme é muito parecido com o primeiro longa em termos de roteiro, mas os elementos que o diferem dos outros o tornam um pouco confusos. Isso porque, por fazer parte desse universo compartilhado, ele precisa inserir personagens como o de Russell Crowe, cuja relação com as criaturas e monstros não é em momento algum detalhada.


É inegável que o longa sofre com esses altos e baixos, já que a qualidade decai muito principalmente no terceiro ato, mas se está procurando um filme ao estilo sessão da tarde, com um pouco de aventura, alguns sustos, um bom 3D (caso deseje, é claro), muita correria (afinal, estamos falando de Tom Cruise), alivio cômico e muita ação. 

Pode ser considerado o melhor da franquia? É bem provável que não, mas também não é o pior, por via das dúvidas, deixo que tire suas próprias conclusões.


2 comentários:

  1. Olá, estou querendo assistir esse filme. Quando vi um título pensei que seria parecido com os filmes que estamos acostumados mais vejo que é bem diferente.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Pelo jeito é um pouco diferente dos outros filmes. Gosto muito dos outros filmes e espero não me decepcionar com esse c:

    ResponderExcluir