Crítica | Vida

Vida (Life)
Direção: Daniel Espinosa
Elenco: Jake Gyllenhaal, Ryan Reynolds, Rebecca Ferguson, Hiroyuki Sanada e Ariyon Bakare.

Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível.

Sinopse:
Em plena Estação Espacial Internacional um grupo de astronautas precisa desvendar os mistérios de uma forma de vida alienígena trazida de Marte.

                         Crítica

Cenas espaciais sempre são de tirar o fôlego, e Vida inicia de uma forma inteligente, aproveitando-se do silêncio e falta de gravidade. Este silêncio é quebrado para apresentar a primeira ação do filme, uma sonda espacial retorna de Marte com uma carga extremamente valiosa, porém uma avaria impede a frenagem dela, e Rory (Ryan Reynolds) o engenheiro de voo controlando um braço robótico da estação simplesmente pega a sonda, sim simplesmente pega um objeto viajando a no mínimo 10.000km/h (a sonda Voyager 1 tem velocidade de 65.000km/h) tirando esse aspecto físico até ai tudo bem.

Em seguida conhecemos um pouco sobre a tripulação, porém bem superficialmente, temos o piloto/técnico da EEI Sho (Hiroyuki Sanada), a comandante Ekaterina (Olga Dihovichnaya), o oficial médico David (Jake Gyllenhaal), o possível biólogo Hugh (Ariyon Bakare) e a especialista em prevenção e controle de doenças Miranda (Rebecca Ferguson). Eles apresentam ao mundo sobre a descoberta do marciano, um organismo unicelular, posteriormente descobrem que as células são parte de um único organismo que se desenvolve muito rápido e interage com o meio, batizado de Calvin.

Vemos o Dr. Hugh ficar fascinado com o crescimento de Calvin enquanto demais tripulantes sentem receio. Com tamanho reduzido, porém força sobre humana, Calvin consegue escapar das contenções e a desbravar a estação enquanto busca alimento, ficando maior e mais inteligente.

Então, não espere suspense, os sustos passam longe porque tudo é jogado de vez na tela, classificaria como um terror light com ficção. Tão light que consegui assistir tranquilamente sem pular cenas rs (não gosto de terror). Não espere também algumas explicações lógicas, o roteiro se perde em alguns momentos, tal como “ele precisa de oxigênio e água para sobreviver” sendo que no início do filme o alien é revivido com uma atmosfera rica em gás carbônico e sobrevive de boa no vácuo do espaço.

Vida tinha tudo para ser um bom filme, mas se ateve a repetir de forma errônea demais filmes do gênero, contando apenas com ótimos efeitos visuais. Eu diria para não assistirem mas se vocês insistem, é por sua conta em risco rs.

                                         Por Alexandre Tucapel

0 comentários:

Deixe seu comentário