Resenha: A Queda dos Anjos - Fim dos Dias#1 | Susan E E

Título: A Queda dos Anjos
Editora: Verus Editora
Autor(a): Susan E E
Número de páginas: 278
Classificação:
Sinopse: Os anjos do apocalipse chegaram — e vieram para aterrorizar a humanidade e acabar com o mundo moderno. Gangues de rua tomam conta do dia, enquanto o medo e a superstição dominam a noite. Quando anjos guerreiros sequestram uma menininha indefesa, sua irmã mais velha, Penryn, fará o que for preciso para salvá-la. Até mesmo um acordo com um anjo inimigo. Raffe é um guerreiro caído, que perdeu as asas. Depois de eras lutando suas próprias batalhas, ele é resgatado de uma situação desesperadora pela jovem Penryn, que concorda em ajudá-lo — desde que ele mostre a ela como encontrar sua irmã. Viajando por um mundo sombrio e perigoso, eles podem contar apenas um com o outro para sobreviver. Juntos, vão em direção à fortaleza dos anjos em San Francisco, onde Penryn arriscará tudo para resgatar sua irmã, e Raffe se colocará à mercê de seus piores inimigos pela chance de voltar a ser inteiro.

Resenha

Complexo e sombrio.


 A leitura de A Queda dos Anjos certamente surpreenderá o leitor por diversas vezes. Num cenário pós-apocalíptico bizarro, Penryn se mostra uma garota resistente a quaisquer adversidades; estando sempre disposta a tudo em nome de sua família.

 Este volume da série não traz muitas informações a cerca de como se deu o apocalipse, nos mostra apenas a vida de Penryn e sua família semanas após o acontecimento. Em diversos momentos em que há menção aos fatos ocorridos em consequência ao apocalipse, ou até mesmo durante o próprio, a curiosidade do leitor vai a mil, apesar das revelações acerca do fim do mundo serem muito poucas.

 Toda a história de como os anjos destruíram a civilização e seguem um plano desconhecido, realizando atos brutais e desumanos - além das intrigas políticas as quais somos apresentados mais tarde - é extremamente instigante e perturbadora.

 Numa tentativa de melhorar sua situação, Penryn e sua família - sua mãe com transtornos mentais e sua irmã paraplégica - abandonam sua casa e saem em busca de um lugar melhor. Para seu azar, acabam se encontrando no meio de uma briga entre anjos e o desenrolar desta cena não poderia ser mais trágico: os anjos - após deceparem as asas do outro com quem brigavam - arrancam a pequena Paige de sua cadeira de rodas e desaparecem pelos céus, deixando Penryn completamente transtornada e estupefata na rua junto a Raffe. 

 Sabendo que não poderia contar com a ajuda de sua mãe - que devido aos seus problemas mentais vive em um mundo de demônios e paranoias - para resgatar sua irmã, Penryn não hesita em tomar as decisões que julgou como certas. Corajosa e determinada, ela é movida por uma lealdade imensurável a sua família. Mesmo nos momentos em que sua mãe é mais como um fardo, ela é incapaz de deixá-la para trás - mesmo sabendo que ela seria capaz de se cuidar e ficar longe do perigo.

 Com um desfecho assombroso, a história se torna mais e mais bizarra conforme o leitor se aproxima do fim da leitura. Inclusive, as dúvidas acumuladas durante a leitura não recebem resposta alguma, pelo contrário, ao final da história só ficamos ainda mais confusos. Decerto, não haveria graça alguma se não ficassem perguntas para serem respondidas nos livros seguintes, mas o excesso de pontas soltas pode por vezes ser fatal para a fé que o leitor terá na qualidade da obra.


1 comentários: