Resenha: A Química Que Há Entre Nós |Krystal Sutherland

                                                                  Título: A Química Que Há Entre Nós
     Autor(a): Krystal Sutherland
     Editora: Globo Alt                                        
     Número de páginas: 272
     Classificação:Nenhum texto alternativo automático disponível.

       Sinopse: Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns. Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros. Mesmo que parece um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.


                                                              Resenha

             Para começar, sou obrigada a confessar que estava um pouco receosa de ler este livro. Saber desde a sinopse que o protagonista vai dar murro em ponta de faca, como diz o ditado, dói um pouco. Ainda mais depois do que encontrei na obra.
             Henry é aquele típico cara legal. Não o mais popular, nem o bad boy ou o nerd que tira dez em tudo. Mas aquele cara simpático que gosta de Harry Potter e que faz observações engraçadas. Que deseja ter um amor igual ao dos pais, juntos desde a adolescência. Que tem dois melhores amigos muito engraçados que gostam dele do jeito que é.
             E é isto que torna a história triste.
            Grace é a aluna nova do último ano da escola e não quer se enturmar com ninguém. Costuma ficar completamente quieta na sala de aula e forma uma figura curiosa com suas roupas masculina e andando de bengala. Convidada a ser editora do jornal escolar junto com Henry, recusa a princípio mas aparentemente após uma ligeira conversa com o rapaz acaba aceitando o cargo. Aos poucos Henry - e o leitor - acaba descobrindo sobre o passado da garota antes dela aparecer na vida do protagonista.
             E é isto que torna a história mais triste ainda.
             À medida em que se vai descobrindo mais sobre o passado de Grace e tudo o que ocorreu até o ponto inicial da história, acabei sentindo mais pena dos dois personagens principais. Não que o livro seja ruim. Mas a sensação de que a relação que os dois constroem ao longo da obra poderia ser completamente diferente em qualquer outra situação permanece o tempo todo. Ele te dá aquela ideia de "Meu Deus, é muita tristeza para uma pessoa só.". Pela Grace por tudo o que ela passou e ainda passa durante o livro. Pelo Henry por não poder fazer nada para que a situação mude, por mais que queira, pelo fato de isto não depender dele.
            As referências e comparações com outros livros, séries, filmes e músicas que aparecem durante a obra dão momentos de risada, e os amigos do protagonista são um show à parte, mas ainda assim é uma história com diversos momentos tristes e melancólicos. Dói ver Henry sofrendo por uma pessoa que, não que não mereça seu amor - longe disso! -, mas que não vai poder corresponder na mesma medida. Dói ver Grace tentando seguir em frente depois de ter passado por algo que não se deseja para ninguém e que transformou a adolescente sorridente do Facebook em uma jovem desesperançada e solitária.
             Por fim, quero dizer que gostei da capa, e neste ponto aproveito para agradecer à editora por ter mantido a estrutura dela como no original embora com leves mudanças para melhor adaptação do título em português. Combina perfeitamente, não só por o peixe ser elemento presente na história como também uma referência à obra em si.
           
                                          Por : Maiana Vieira                                                             
                                                                 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Que delícia ler essa resenha, seu modo de escrever é cativante!!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Quero muito ler esse livro :)
    Espero gostar, sempre acabo gostando de livro com muita carga dramática.
    Beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir