Resenha: Coragem | Rose McGowan


Resultado de imagemTítulo: Coragem
Autora: Rose McGowan
Editora: Harper Collins
Número de páginas: 267
Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível.Nenhum texto alternativo automático disponível.

Sinopse: ROSE McGOWAN nasceu em um culto e o trocou por outro, mais visível: Hollywood.
Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi “descoberta” nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista.

Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.

Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.

CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto — um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM.

                                            Resenha

Quando vemos um filme, nunca pensamos o que se passa por trás de todas as filmagens, dentro do set de gravação, onde tudo é muito diferente do mundo encantado que imaginamos. E nesse livro, Rose McGowan mostra pedacinho por pedacinho todos os horrores que existem no mundo de Hollywood.

Recentemente muitos manifestos contra produtores, diretores, roteiristas e até atores estão se tornando cada vez maiores. Um dos maiores é o Time’s Up, que é um movimento de mulheres que buscam igualdade dentro da indústria cinematográfica. Outro que ficou recentemente muito conhecido foi o Me Too, também feito por mulheres que expuseram seus agressores nas indústrias de filmes e séries, que se iniciou com as denúncias feitas contra o produtor Harvey Weinstein, para mostrar que não estamos sozinhas e que juntas podemos pôr todos os agressores a baixo, perdendo seus pedestais e fazer com que eles não saiam mais impunes dos seus crimes. Inclusive o Me Too virou uma hashtag compartilhada mais de 800 vezes. Rose McGowan teve grande participação em ambos.

Esses manifestos são extremamente importantes, e Coragem, chegou em um momento muito oportuno, em que o feminismo cresceu e se tornou algo muito importante na nossa sociedade e está alcançando cada vez mais mulheres e ajudando-as a sair, por exemplo de relacionamentos abusivos. Rose McGowan já foi uma dessas mulheres, e ela mostra como essas coisas são fáceis de acontecer. Por toda a sua vida, ela estava cercada por misóginos, inclusive o seu pai, que usavam e abusavam de mulheres, até mesmo crianças.

"Na época compreendi como é fácil ser manipulada e como os homens podem nos diminuir, e nos diminuem, quando estamos em momento de fraqueza." - pág. 95

O mais triste dessa história, é que ela se sentia sortuda por nunca ter sido estuprada quando mais nova, como viu acontecer com diversas meninas, crianças e adolescentes que conviviam com ela. E quando ela se sentia finalmente segura, sentia que sua vida tinha melhorado (depois de passar um tempo nas ruas, morrendo de fome e sem lugar para dormir), ela foi estuprada, por alguém poderoso, o qual ela não poderia fazer nada. (Harvey Weinstein)

"Recentemente me dei conta de que a poderosa sempre fui eu. Mas a maioria dos homens poderosos não ajuda você a enxergar isso. A carreira deles é para valer. A sua é passatempo." - pág. 196

Além de abusos, o livro fala sobre como a indústria Hollywoodiana faz com que as mulheres não sejam mais do que objetos, como eles fazem com que nós, que acompanhamos seus filmes, seguimos um padrão imposto por eles e em como somos parte de um sistema terrível. Nós, mulheres, precisamos nos unir e lutar contra todo e qualquer tipo de abuso. Estar sempre atentas com quem está do nosso lado e estar sempre dispostas a ajudar, e não a competir.

"O que acontece com as mulheres nos filmes dele (Quentin Tarantino) é perturbador. Hollywood se sente muito a vontade em aceitar agressões às mulheres e chamar de arte. Acho que a maioria das pessoas não entende que, quando a platéia consomem essas coisas, são condicionadas à lavagem cerebral. Aprendem a ver as mulheres num sentido objetificado. O veneno se espalha pelo público. O público vai para casa e espelha aquele comportamento. E digo mais: o que acontece nos bastidores também chega a vocês." - pág. 207

Esse livro é grandioso de tantas formas, e o título não poderia ser outro. Coragem de se expor, contando todos os seus traumas e agressões, de se abrir para o mundo do jeito que ela fez. Coragem de expor seus agressores, mesmo que isso pudesse custar a sua carreira. Coragem de erguer a cabeça depois de tudo que passou e tentar ajudar mulheres que passaram pelo mesmo. Rose é uma mulher incrível!

A leitura do livro é extremamente dinâmica, de certa forma divertida, mas ainda assim, é preciso dar umas pausas durante a leitura para compreender tudo, assimilar, pois é um livro pesado, e mesmo que não tenha acontecido com você, você se sente violado com tudo que ela passou se tiver o mínimo de empatia. Super recomendo o livro para quem quer entender mais sobre esses movimentos, sobre o que é feminismo e porque ele precisa existir.

E por fim deixo vocês com um conselho de Rose McGowan:

"Discordo quando dizem que "homens são assim mesmo". Não. Crie seus filhos para que eles vejam as garotas como seres humanos, não objetos." - pág. 81

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário