Crítica | Homem Aranha: Longe de Casa


Homem-Aranha: Longe de Casa : PosterTítulo: Homem Aranha - Longe de Casa
Roteiro: Chris McKenna, Erik Sommers
Direção: Jon Watts
Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya, SamuelL. Jackson, Jon Fravreau, Marisa Tomei, Colbie Smulders, Jacob Batalon
Gênero: Aventura, Ação
Classificação:
Sinopse: Peter Parker (Tom Holland) está em uma viagem de duas semanas pela Europa, ao lado de seus amigos de colégio, quando é surpreendido pela visita de Nick Fury (Samuel L. Jackson). Precisando de ajuda para enfrentar monstros nomeados como Elementais, Fury o convoca para lutar ao lado de Mysterio (Jake Gyllenhaal), um novo herói que afirma ter vindo de uma Terra paralela. Além da nova ameaça, Peter precisa lidar com a lacuna deixada por Tony Stark.
                               Resenha

Peter Parker está de volta, agora na sua 5ª aparição no Universo Marvel de Cinema. Ainda abalado com a perda de seu mentor, Peter tenta seguir em frente num mundo que está se ajustando ao retorno de 50% dos seres e tudo que ele mais quer é descansar, viver como um garoto normal de 16 anos, fazer uma excursão com seus amigos e tentar conquistar a garota que tanto ama, mas nem sempre temos o que queremos.

O longa retorna com o mesmo diretor do primeiro filme (Homem Aranha : De Volta ao Lar, 2017) John Watts, que tem importantes missões: Contar a história de Peter, enquanto fecha o ciclo de 23 filmes da Marvel e dar um pequeno vislumbre do que veremos na fase 4 do MCU. Era difícil, mas não impossível. E ele conseguiu pelo menos as duas primeiras. Com o mesmo tom jovial do primeiro, este consegue trazer o espirito do Homem Aranha e Peter Parker com distinção. E ele conta com duas coisas: um roteiro redondo, simples, imediatista e um elenco que brilha.

Também retornando ao segundo longa estão os dois roteiristas, que mais uma vez escolheram um antagonista que nunca havia sido representado na tela: Mysterio (interpretado por Jake Gyllenhaal), ainda que fique o questionamento, ele é aliado ou um vilão? Eis algo a ser decifrado. Sem dar tantos furos, o roteiro é rápido e sagaz, não permitindo que a estória fique cansativa, usando muito bem da comédia e da ação em momentos bem cruciais.

Tom Holland retorna trazendo seu melhor como Peter, com o carisma do garoto tímido, desajustado, um pouco atormentado pelo peso das responsabilidades de ser um herói, as perdas que não conseguiu evitar e o anseio pela normalidade. A diferença agora é sua interação maior com seus colegas, principalmente com MJ (interpretada por Zendaya) e a participação de figurinhas carimbadas da Marvel como Happy (Jon Fravreau), Maria Hill (Colbie Smulders) e um estranho Nick Fury (Samuel L. Jackson).

Homem Aranha Longe de Casa é inteligente, divertido e bem-sucedido em consolidar ainda mais essa geração e provavelmente agradará os fãs do teioso, já que toda sua essência está aqui. O longa é muito feliz em brincar com a época do colegial, além de algumas pequenas surpresas, certamente um dos melhores blockbusters do verão americano.

P.s.: Há duas cenas extras, é importante ver pelo menos a primeira, a segunda provavelmente só fará sentido no futuro. Boa sessão pra você.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário