Resenha: Alien | Alan Dean Foster

AlienTítulo: Alien
Autor: Alan Dean Foster
Editora: Aleph
Número de páginas: 304
Classificação
Sinopse: A tripulação da nave Nostromo é despertada antes do tempo de seu sono criogênico. Misteriosos sinais vindos dos confins do espaço são recebidos pelo computador de bordo, e a equipe é acionada para investigar um planeta desconhecido. Um tripulante é atacado por uma forma de vida estranha, e esse pode ser o início de uma história pior que os mais terríveis pesadelos da humanidade.






Resenha –

Sempre tive a vontade de ler os capítulos de um livro e na sequência, assistir a determinada parte de sua adaptação. Entretanto, nunca pensei ter encontrado adaptação fiel o suficiente. 
   Alien foi minha cobaia: o livro é na verdade uma novelização da obra de Ridley Scott, de 1979, que narra a história de sete tripulantes a bordo na nave rebocadora Nostromo. Em estado de hibernação, todos (até mesmo o gato, Jones) despertam de seus sonos devido a um pedido de socorro decodificado pela Mãe, emitido por uma nave em um planeta inóspito.
   Uma equipe de busca com três dos sete integrantes é montada, composta por Dallas, Kane e Lambert. O restante deles  Ripley, Brett, Parker e Ash  permanece a bordo. Ao atingir o ponto em que o sinal é emitido, eles se deparam com uma nave alienígena a muito tempo abandonada. Não há sinais de tripulantes a bordo ou qualquer outro sinal de vida. Durante a busca, um acidente: Kane tem seu rosto coberto por uma criatura, que apresenta uma resistência sobre-humana. Socorrido de volta a nave, o grupo não tem ideias que o horror está apenas começando. De sete tripulante, surge um oitavo passageiro.




   A leitura começa em um ritmo meio parado, mas que vai se intensificando ao decorrer da história. Da metade ao fim, fica difícil largar o livro. A leitura e visualização simultânea só me trouxe mais angústias. 
   Um ponto que achei interessante é como o livro consegue captar o feminismo da protagonista Ripley, uma personagem de personalidade forte. Ripley não tem medo ao mostrar suas duras opiniões, muito pelo contrário: boa parte do tempo ela faz questão de ressaltar seu ponto de vista várias e várias vezes. 
   A edição possui uma capa meio metalizada, com páginas iniciais que remetem ao início do filme, a formação do nome "Alien" (a editora postou algumas fotos da edição, que podem ser conferidas no Instagram). E por falar em filme, a experiência realizada me provou o seguinte: adaptações e novelizações não são fieis uns aos outros. Apesar de ser fã da quadrilogia Alien, o livro possui um enredo mais completo e íntegro que talvez agrade a quem já assistiu (ou não) os filmes.  
   Um clássico da ficção científica que merece ser lido.

1 comentários: