Resenha: O Legado Folclórico - Ouro, Fogo e Megabytes | Felipe Castilho


TítuloOuro, Fogo e Megabytes
Autor:Felipe Castilho
EditoraEditora Gutenberg
Número de páginas: 281 
Classificação: 
Sinopse : Como esconder uma suspensão escolar dos pais, resgatar uma criatura mágica das garras de uma poderosa e mal-intencionada corporação e ainda por cima salvar o país de um desastre sem precedentes?
Anderson Coelho, um garoto nada extraordinário de 12 anos, divide sua vida entre a pacata realidade escolar e uma gloriosa rotina virtual repleta de aventuras em Battle of Asgorath, jogo de RPG online em que jogadores do mundo todo vivem num universo medieval, cheio de fantasia. Lá, Anderson – ou Shadow, nome de seu avatar – tem vida de estrela: é o segundo colocado do ranking mundial. E são justamente suas habilidades que chamam a atenção de uma misteriosa organização, que o escolhe para comandar uma missão surpreendente junto com um grupo de ecoativistas nada convencionais.
Ao embarcar para São Paulo, Anderson mergulhará de cabeça em uma aventura muito mais fantástica que as vividas em seu computador. Os encontros com hackers ambientalistas, ativistas com estranhos modos de agir e muitas criaturas folclóricas oferecerão a Anderson Coelho respostas não só sobre sua missão, mas também sobre sua própria vida, enquanto um novo mundo se descortina diante de seus olhos.


                                                             – Resenha –

O folclore brasileiro é riquíssimo, tanto quanto outras mitologias, mas infelizmente, nem nós o conhecemos direito. E é exatamente nesta  brecha que entra o livro Ouro, Fogo e Megabytes.

O livro é bem novo, foi publicado em 2014, e é o primeiro de uma quadrilogia. Apesar do público-alvo ser infanto-juvenil, eu me diverti demais com essa leitura, até porque tem um estilo semelhante a Percy Jackson (que é um dos meus livros preferidos <3). Não tem tantas piadinhas como nos livros do tio Rick, mas está recheado de referências à cultura pop. 

O protagonista Anderson é aquele garoto que todo mundo conhece! Ele pode ser seu irmão, seu primo ou seu vizinho, mas é impossível não gerar identificação. A história ainda nos apresenta o Saci, um boto e uma meio-sereia, além de uma porção de criaturas fantásticas, incluindo uma arara falante e uma capivara com alma de cachorro. É muito amor envolvido!

Todas as personagens foram muito bem construídas e a história tem um desenrolar simples (e até previsível), o que não a torna ruim. Ao contrário, aliás: mesmo sendo um livro de fantasia, esse encadeamento dos fatos dá muita credibilidade na história. Eu prefiro um livro com uma trama simples e bem construída do que mil reviravoltas e pontas soltas. E embora o Felipe consiga fechar bem a história, ainda deixa a brecha para a continuação e a curiosidade de saber onde tudo aquilo vai terminar.

Além de explorar o folclore brasileiro de um jeito super divertido, o livro ainda trata de questões mais delicadas: problemas familiares, abandono, ecologia, ética e empatia. 

O Legado Folclórico está sendo uma série sensacional e recomendo muito a leitura!

0 comentários:

Deixe seu comentário