Resenha: A Primeira Chance #1 | Abbi Glines

Título: A Primeira Chance
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 222
Classificação:
Sinopse: Depois do sucesso das histórias de amor de Blaire e Rush, Woods e Della, a autora volta a Rosemary Beach para narrar o romance entre o playboy irresistível Grant Carter e Harlow Manning, a moça ingênua que roubou seu coração. Harlow é uma jovem incomum. Filha de um astro do rock, a garota bonita e inocente nunca se aproveita da fama do pai e prefere levar uma vida sossegada. Mas seus dias de tranquilidade terminam quando ele sai numa longa turnê de nove meses e ela vai passar esse tempo na Flórida com sua meia-irmã Nan. O problema é que Nan a odeia. Acostumada a ser o centro das atenções, ela morre de inveja de Harlow, que, além de ser a queridinha do pai, atrai os olhares masculinos por onde passa. Harlow não entende por que Nan a maltrata tanto, mas acha melhor se esconder atrás de seus livros e passar o maior tempo possível no quarto para não correr o risco de provocar sua ira. Porém seus planos vão por água abaixo quando ela esbarra com Grant Carter de cueca na cozinha. Grant cometeu um erro terrível ao passar uma noite com Nan, sua ex. Ela conhece seus pontos fracos e sabe seduzi-lo, mas ele se arrepende por ter caído em tentação. E logo no dia em que conhece Harlow, a garota que faz seu coração acelerar. Grant está desesperado para conquistá-la, mas será que destruiu suas chances antes mesmo de conhecê-la? Só o que Harlow quer dele é distância. Afinal, que tipo de pessoa se envolveria com uma criatura amarga feito Nan?




                                                        Resenha
(Deixando claro que este é o 1° livro da duologia Chance, mas o 7° livro da serie Rosemary Beach)
Sabe aquele bad boy de olhar marcante, cabelo sedoso, sorriso arrasa quarteirão e uma pegada capaz de te deixar perdida? Claro que sabe, esse tipo de moço aparece em vários livros. Agora sabe aquela garota certinha, apaixonada por livros e filha de um famoso astro do rock, que cai na lábia do bad boy citado acima, e vive um romance "proibido"? Novamente, aposto que você sabe muito bem. Agora vamos colocar mais alguns ingredientes cruciais nesta receita: a outra filha do mesmo famoso astro do rock, versão malvada, que odeia a nossa garota certinha, e está namorando o bad boy dono do sorriso arrasa quarteirão. Sei que isso pode ter ficado um pouco emaranhado, mas tenho certeza que você entendeu.

Reconheceu todos os ingredientes? Sabe o resultado dessa receita? *Se a resposta for não, vou dar uma dica: fanfic*. Parabéns pra você que respondeu fanfic!

Vamos às explicações. Atire o primeiro livro quem nunca, nunca, teve uma queda por um bad boy literário (ou até mesmo aquele vizinho de jaqueta de couro do seu prédio, o bad boy da vida real). Quem não se identifica com a moça meio solitária, que é considerada estranha pelos gostos que tem, e prefere mil vezes ficar em casa com seus livros do que se acabar de salto alto na balada? Quem nunca viu aquela amiga/prima/irmã/encosto/criatura que finge ser boa com você na sua frente e só te detona pelas costas, ou que te trata mal na frente de todo mundo mesmo, por pura inveja de sua sapiência e do seu sex-appeal, que você não acredita ter? 

Esses são os ingredientes principais do livro, e coincidentemente, todos são ingredientes daquela clássica fanfic (se juntar pais mortos em um acidente de carro, óculos de armação grande, roupas largas, coque frouxo e um Starbucks, teremos uma fanfic do 1D). Não, não estou criticando nenhuma fanfic. Como vocês acham que eu sei dessas informações? Eu mesma já li várias fanfics, o suficiente pra dizer tudo o que disse com uma certeza imensa. Agora vamos voltar ao livro da Abbi.

É um "romance erótico". Claro que sempre tem aquelas palavras sujas vindo de alguns personagens (talk dirty to me, baby), mas até o que disseram eu achei meio... Bleh. Tipo, que cara iria comparar fazer amor com usar luvas de cetim (acredite, associei do jeito mais malicioso possível, e nada bateu)? Fora que o bad boy, a mocinha, o pai famoso e a irmã malvada são assuntos clichês; o que não significa que sejam assuntos ruins. Existem livros com esses mesmos assuntos, que conseguem prender bastante a atenção (um beijo especial para Damon Salvatore, Jace Wayland e Travis Maddox, meus bad boys favoritos).

CONCLUINDO! Em minha opinião, a autora escreve bem. Só não soube usar os clichês que tinha a sua disposição de uma forma madura, que foi o que a apresentação do livro deu a entender que era. De tudo o mais, o livro é dividido e apresentado pela visão de Grant (o bad boy) e Harlow (a mocinha). 

Inicialmente conta com alguns flashbacks, que podem te deixar perdido se não prestar bem atenção. A leitura foi rápida e nostálgica, como disse, pela minha associação com as fanfics. Mas essa opinião foi a minha :D

Agora cabe a você, caro leitor. Aproveitando o título do livro, você daria essa primeira chance?

1 comentários:

  1. Olá, eu comprei um livro da autora mas nunca li absolutamente nada dela. Não gosto muito de livros onde tem que ocorrer uma tragédia para os personagens principais ficarem juntos. É um saco! Mas infelizmente a maioria dos YA acontece isso. Procuro maturidade nos livros e apenas encontro sexo, sexo e sexo. Mas vou ler depois e ver o que penso.
    Abraço!
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir