Resenha: Os Garotos Corvos | Maggie Stiefvater



Título: Os Garotos Corvos
Autor: Maggie Stiefvater
Editora: Scholastic Press
Número de Páginas:408
Classificação:   

Sinopse

Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos, Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los - até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela.

Seu nome Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca.
Gansey tem tudo - dinheiro, boa aparência, amigos leais -, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco.
Desde que se lembra, Blue tem sido alertada de que ela causará a morte do seu verdadeiro amor. Ela não acredita em amor verdadeiro e nunca pensou que isso poderia ser um problema. Mas à medida em que sua vida se envolve com o estranho e sinistro mundo dos Garotos Corvos, ela não tem mais tanta certeza assim.
Resenha]

Como eu havia mencionado este livro na resenha anterior, decidi que ele merecia um post só para ele. Este foi o primeiro dos livros da Maggie Stiefvater que eu li, e fui pega de surpresa em sua narrativa envolvente e cem por cento fora dos clichês.
A essa altura da minha vida, posso dizer que já li de tudo. Mas os livros denominados YA (young adults, ou infantojuvenis) são meus queridinhos. Adoro ficção, e adoro explorar mundos novos e criativos.  Acontece que os YA estavam passando a ficar um pouco cansativos e repetitivos - eu tinha a impressão de que eu podia adivinhar o final do livro antes de chegar à metade da história.
Esqueça isso com a Stiefvater.
 A primeira coisa que me chamou a atenção foi a capa - sim a capa! O livro é maravilhosamente bem elaborado.  Mas o que decidiu por mim foi essa parte da sinopse:
Desde que se lembra, Blue tem sido alertada de que ela causará a morte do seu verdadeiro amor. Ela não acredita em amor verdadeiro e nunca pensou que isso poderia ser um problema.
Maggie me ganhou aí!
Quero dizer, é extremamente clichê a ideia do verdadeiro amor! E, ao mesmo tempo, não é, porque Blue não acredita em amor verdadeiro e, mais do que isso, está decidida de que não quer isso em sua vida (provavelmente por causa da parte em que ela vai matá-lo, e tals). Mas a história vai para uma dimensão totalmente nova com a narrativa desta autora. 
Blue é sarcástica e irônica até a raiz dos cabelos, e eu simplesmente adoro o sarcasmo dela. Além disso, acho muito divertida a maneira com que a própria narração da história soa sarcástica. A narração é surpreendente e empolgante, e não consegui largar o livro antes do fim.
Há também o choque. Em ambos os livros da autora que li, todos os fatos se encaixavam e, ainda assim, havia aquela sensação de "será que é isso mesmo?" ou "acho que li errado!" O texto se entrosa de tal forma que, no desfecho, tudo me parece absurdamente óbvio e chocantemente novo! Tenho certeza de que nunca li nada igual.
Acho que, até esse ponto, ficou clara a minha fascinação por essa autora. Gosto da qualidade literária do seu trabalho mas, mais do que isso, adoro suas personagens. Elas podem ter os mesmos problemas e as mesmas manias que nós embora sejam inteiramente únicas!
Para quem gosta de se surpreender com uma leitura, e para aqueles que procuram algo novo em que apostar suas fichas, acredito que a Stiefvater seja uma boa aposta.
E aí, alguém já leu?

2 comentários:

  1. Caramba esse livro parece ser beeeeem origial! Só pela sinopse já fiquei morrendo de vontade de ler!
    Também amo YA, mas confesso que eles andam meio clichês e óbvios também rs é bom algo fora do padrão as vezes :)

    beijos
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ariádne,
      Bem, eu andava um pouco cansada das histórias de YA. Muito vampiro, muito lobisomem e tals. Mas confesso que as histórias da Stiefvater me pegam de um jeito que eu não consigo largar!!!
      Confere que vale a pena!!
      Beijos.

      Excluir