Resenha: A 5° Onda | Rick Yancey

Título: A 5º Onda
Autor:  Rick Yancey 
Editora: Fundamento                                              Número de páginas: 384
Classificação:  
Sinopse: Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.




                                                                                                 Resenha 

Esse livro foi uma das maiores descobertas, pra mim ele abriu de novo um mundo saturado de distopias, e este tem conteúdo bem relevante dos outros e é diferente, o que é ótimo por sinal.  

Realmente que onda (trocadilho sem graça), a Cassie é uma das minhas personagens femininas favoritas, ela é tão real e se parece com muitas por aí. Em todo momento nós vivemos com os pensamentos e inseguranças de Cassie ao decorrer do conto. Serei bem breve por tenho medo de tirar o gostinho da trama. 


 Ponto número um, os outros são  uma alternativa não- humana - estamos falando de alienígenas, mas a protagonista alerta, não é nada do que você imagina-, mas que definitivamente, faz com que role toda competição entre eles e os humanos, tanto quanto a luta para sobreviver. Contudo,pude perceber que eles são um problema, e não somente um fato que ocorreu e foi se encaixando, como em outros livros distópicos que já li, é realmente uma ameça, e gera  medo entre os personagens. 

   Não é assim. Para continuar inteiro, é preciso encontrar alguma coisa pela qual se está disposto morrer. 
  Meu coração partia toda vez que Cassie lembrava da sua família, o que era muito importante pra construção do livro, já que a busca pelo seu irmão mais novo a motivava. 

Outro personagem que entra na história é Evan, que aparentemente desperta um possível amor, e que torna a estória mais completa (E VICIANTE).  Ben também equilibra o local com força e determinação muito importantes para uma distopia.

Porque, se eu for a última, então eu sou a Humanidade. E se essa for a última guerra da Humanidade, então eu sou o campo de batalha.

Eu queria dar um grande abraço no Yancey, pelos detalhes,e por outros pontos de visões dos personagens. Imaginei cada milimetro como um filme, mais um motivo pra respirar cada página do livro como se fosse a última. Tem sangue, luta, é realmente uma batalha. Doçura é rara, e muito bem construída. E é a realidade de um mundo atacado por alienígenas, sem dúvidas. 

3 comentários:

  1. anna, tudo bem? Eu estava animada para o livro. Mas depois que virou filme (não curti o elenco. Não acho a Chloë Grace Moretz boa atriz)... desanimei totalmente.
    Sei lá.
    Vai acompanhar o filme?
    Beijos, Fernanda D.
    NovoRomance.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sim, quero muito ver o filme, mas ainda não sei se está em cartaz. É só focar mais nos personagens que nos atores. Até porque, filmes tem um grande probabilidade de arruinar um livro. Também não visiualizei a Chloe como protagonista :/
    Beijos

    ResponderExcluir