12 meses, 12 cores | Junho Colorido









Vermelho – Vida 
Laranja  Saúde 
Amarelo – Sol 
Verde – Natureza 
Azul – Harmonia 
Roxo – Espírito 

O arco-íris possui sete cores, sempre na mesma ordem. Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Anil (ou Índigo), e Violeta. É gerado através de um fenômeno óptico e meteorológico que separa a luz do sol em seu espectro contínuo quando o sol brilha sobre gotas de chuva. Possui inúmeros significados. Na mitologia grega, a deusa Íris era a mensageira responsável, e em suas tarefas, deixava um rastro multicolorido ao travessar os céus. Cristianismo, islamismo e judaísmo retratam o arco-íris como uma aliança com Deus, após um dilúvio destruir a terra. Na cultura yourubá, é representado pelo orixá Oxumarê (Osûmàrè) como mensageiro divino aos seres humanos.






A mistura das cores não é exclusiva de um arco-íris. Está presente ao nosso redor, em nosso cotidiano, nas ruas, na cultura artística, no design, nos prédios, alimentos, objetos. As cores tem o papel de informar, alertar e até mesmo despertar o nosso interesse. Elas influenciam em nossas escolhas e até mesmo em nossas personalidades.







O colorido é símbolo de algumas bandeiras ao redor do mundo. Entre elas, o símbolo do Tahuantinsuyu (Império Inca) e o Oblast Autônomo Judaico (subdivisão federal da Rússia). Entre tantas outras, existem duas que se sobressaem. A primeira, símbolo do movimento pacifista, utiliza as cores do arco-íris na ordem reversa. A segunda, símbolo do movimento LGBT. As cores presentes na bandeira possuem significados distintos. No Brasil, o movimento LGBT realiza a Parada do Orgulho em São Paulo, sendo a maior parada do mundo. Na maioria dos temas utilizados, a maior reivindicação é o combate a homofobia, além da luta por direitos civis.
   A luto por direitos não é exclusividade de uma classe. Acima de qualquer outra coisa, temos por direito a vida e a liberdade. Nossas atitudes refletem o nosso querer. Um tema tão antigo e que beira a atualidade quanto o preconceito deve ser debatido. "Não ao racismo, o machismo, o sexismo, a homofobia. Não a todos os preconceitos que ainda persistem. E mais paz disseminada em nossa sociedade."


O livro indicado do mês é daqueles que você ama e odeia. E aborda o tema! Se trata de Sobre Garotos Que Beijam Garotos, do Enrique Coimbra. A história gira em torno de Enzo, um garoto homossexual que se apaixona por um hétero, Ian. Esse possui a curiosidade de ficar com alguém do mesmo sexo e acaba se aproximando de Enzo por conta de alguns fatores, entre eles, sua sexualidade. E quem disse que um gay se apaixonar por um hétero é fácil?
   Não sendo o bastante, Enzo conhece Breno, um garoto extremamente carinhoso e que se perde no mar confuso que é Enzo. Mas como o próprio diz, "a maldição de minha existência é querer ser de quem não quer ser meu".



   De uma narrativa deliciosa e que flui facilmente, o livro é cercado de doçuras e poesias. Mas também tem seus pontos negativos. Enzo relata os acontecimentos envolto em muitas drogas, álcool e uma falta de carisma sem precedentes, e ainda se passa de santo. Houve momentos em que esperei por um choque de realidade na vida do personagem.
   Mas encanta. E chega a dar raiva por te prender o tempo todo, sem te deixar sem saída até chegar na última página, te fazendo querer mais. Para quem não conhece o livro, o autor é brasileiro e possui um vlogger no YouTube, o emriquesemh, onde ele aborda sobre a vida, músicas, filmes e a temática gay.

"Por mim, a gente só andaria e andaria, sem rota, sem ter de pensar. Pensar é maldição."
― Página 12 

Meses anteriores...
Janeiro Branco ― Fevereiro Amarelo ― Março Preto ― Abril Marrom Maio Laranja
E até o próximo!

1 comentários:

  1. Oi, Paulo!!

    Que post interessante!
    Adorei, principalmente, a indicação do livro. ♥

    Abraços,
    Flávia Bergamin
    http://voceetaolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir