Resenha: Menina Má l William March

Título: Menina Má
Autor: William March
Editora: Darkside Books
Número de Páginas: 272
Classificação: 

Sinopse: ”Publicado originalmente em 1954, MENINA MÁ se transformou quase imediatamente em um estrondoso sucesso. Polêmico, violento, assustador eram alguns adjetivos comuns para descrever o último e mais conhecido romance de William March. Os críticos britânicos consideraram o livro apavorantemente bom. Ernest Hemingway se declarou um fã.

Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.


                                                   Resenha


Preciso começar essa resenha com uma dica literária pra vocês: Caso tenha algum gênero literário que vocês não tem costume de ler, peço que escolha um livro deste gênero e dê uma chance. Menina má é uma dessas surpresas que nunca imaginei gostar e devorei em menos de três dias. 

Menina má conta a história de Rhoda, uma garotinha de 8 anos que tem o jeito muito diferente das crianças da sua idade, é bem comportada, independente, só tem uma leve dificuldade de demostrar emoções. 

A família de Rhoda mudou-se a pouco tempo devido ao emprego de seu pai Kenneth, emprego que o faz viajar bastante e ficar ausente de toda a história. Sua mãe, Christine, é quem fica com Rhoda, ela é muito bem recebida na cidade, consegue matricular sua filha em uma das melhores escola da região. 

Tudo vai bem até que em um piquenique da escola, um colega de sala de Rhoda, morre em circunstâncias duvidosas e a Rhoda é a última pessoa que esteve com o menino Daigle. Ao chegar em casa, ela não demostra nenhum tipo de tristeza e não parece estar nem um pouco abalada com o acontecido. Christine começa a estranhar o comportamento da filha e se questionar se toda essa frieza é normal.

"Eu sei que, no fundo, você está muito triste, minha linda.' Rhonda encaixou uma peça do quebra-cabeça em seu devido lugar e então, voltando-se para a mãe, disse, em tom surpreso: 'Não sei do que você está falando, mãe. Não sinto nada." - página 73

 O livro é um suspense psicológico narrado em terceira pessoa, porém a todo momento entramos nos pensamentos dos personagens e entendemos o ponto de cada um deles. A Grande maioria do livro, passamos na cabeça de Christine, ela vai nos mostrando pouco a pouco o porque suspeita da filha e ao mesmo tempo, faz questão de nos mostrar que a filha é apenas uma menininha de 8 anos, que nunca faria coisas tão absurdas. Procurando entender o que está acontecendo, ela acaba descobrindo muita mais coisa do que esperava do passado de sua família. 


“Às vezes, é difícil entender por que tem de haver tanta dor e crueldade nesse mundo. Mas é algo que todos temos que enfrentar.” Pág. 137

A escrita do Mach é maravilhosa, fiquei extremamente encantada em como ele encaminha a história de uma maneira que não nos faz querer largar o livro. Os personagens secundários são extremamente importantes para entendermos todo o contexto da história e a época que a história se passa. O livro não chega ser um terror, é um livro que trás um grande questionamento, a maldade é algo que nasce com a gente ou algo que desenvolvemos durante a formação de nosso caráter ou através de traumas psicológicos? 

O final do livro é de dividir opiniões, eu gostei bastante, acho que foi o melhor desfecho que o livro poderia ter. Um livro que te faz ficar com medo das crianças boazinhas que conhecemos por aí e nos questionar se todos temos uma sementinha do mal ou plantam essa sementinha conforme vivemos. 

Não posso deixar de comentar essa edição maravilhosa da Darkside books, o livro é de capa dura, com uma menininha linda e macabra. Se tornou um dos xodozinhos da minha estante.

Quem ai já leu a história de Rhoda? Me contem nos comentários o que acharam. Se ainda não leu, corre pra ler que vale muito a pena.

                                         

                                           Beijos da Jess :) 


2 comentários:

  1. Oi, Jess!
    Essa edição é maravilhosa! Li há pouco tempo e adorei. Achei perfeita a construção da Rhoda, é de fazer a gente se assustar e pensar mesmo. E não tem como não se angustiar junto com a Christine enquanto ela vai descobrindo as coisas.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Carla,

      Completamente apaixonante essa edição né? sim, Christine sofre tanto e se culpa por tudo.

      Beijos e adorei sua resenha dele também :)

      Excluir