Resenha: #GIRLBOSS | Sophia Amoruso

Título: #GIRLBOSS
Autor:  Sophia Amoruso
Editora: Seoman
Número de páginas: 248
Classificação: 
Sinopse: Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.



                                                – Resenha –


“Você não pode convencer uma pessoa — seja um possível empregador, um gerente de financiamento de concessionária ou alguém de quem você está a fim — de que você é incrível e fantástica se você mesma não achar que é.”
Bem, quem me acompanha, já viu que li A arte de pedir, de Amanda Palmer; e O ano em que disse sim, de Shonda Rhimes. Duas mulheres maravilhosas, dois livros incríveis! “Mas pq raios vc começou o texto falando disso?”, você pensa. Simples: leia esses livros que citei. Eu esperava que #GIRLBOSS fosse no mesmo nível, mas não é.

“Não importa onde você está na vida, você vai poupar muito tempo ao não se preocupar demais com o que os outros pensam de você. Quanto mais cedo na vida puder aprender isso, mais fácil será o resto que virá depois. Você é quem você é, então, acostume-se com isso.”
Explico: Sophia Amoruso dá dicas de como abrir um negócio do mesmo modo que ela abriu — sem muitas preocupações com RH, departamento financeiro, planilhas, etc (ou seja, a parte burocrática). No meio disso, ela conta sua história e fala algumas coisas sobre autoestima e acreditar em si mesma. “E isso não é legal?”, você pensa de novo. É sim, acho bem legal. Mas o livro não me cativou, não.

Eu li depois de ver a série da Netflix. E vi a série pq fiquei curiosa, com tanta gente falando de Sophia: “Mas que protagonista insuportável”, “Ela é legal, parem de falar mal dela” foram as frases que mais li. E o que eu acho? Acho que Sophia poderia, sim, ter virado uma pessoa fracassada, como ela mesma diz. Mas ela resolveu “acordar pra vida” e fazer a coisa certa, na hora certa. E aí ela se deu bem.

Gostei de verdade de ver como Sophia conseguiu realizar seu sonho. Ela mereceu, batalhou muito. Mas é ‘só’. Não vejo uma grande jornada cheia de aprendizagem como da Shonda Rhimes ou da Amanda Palmer. Eu aprendi muito mais com essas duas do que com Sophia.

“Seja você mesmo; todas as outras personalidades já tem dono — Oscar Wilde.”
Enfim… se quiser ver uma jornada legal dentro do mundo da moda, e pegar dicas de empreendedorismo… ótimo. Agora se você quiser ler histórias de mulheres maravilhosas, que tem muita coisa boa pra contar: leia Shonda ou Amanda.


 

0 comentários:

Deixe seu comentário