Resenha: As Batidas Perdidas do Coração | Bianca Briones


 Título: As Batidas Perdidas do Coração
Autora: Bianca Briones
Editora: Verus Editora
Número de páginas: 402
Classificação:  ★ ★

Sinopse: Viviane acaba de perder o pai. Com a mãe em depressão, ela se vê obrigada a assumir o controle da casa com o irmão mais novo. Rafael teve o pai assassinado há alguns anos e agora viu quatro pessoas de sua família, incluindo a única irmã, morrerem em um acidente de carro. 
Viviane pertence a uma classe social que ele despreza. Rafael é tudo o que ela sempre ouviu que deveria evitar. Eles são opostos, porém dividem a mesma dor. Jamais se aproximariam se a morte não os colocasse frente a frente, e agora, por mais que saibam que são completamente errados um para o outro, não conseguem evitar uma intensa conexão, que poderá salvá-los ou condená-los para sempre.

As batidas perdidas do coração é uma história sobre perdas e como cada um lida com elas. É o encontro atormentado entre a dor e o amor. Com uma narrativa sexy, envolvente e repleta de música, este livro traz a última tentativa de duas pessoas arruinadas que, juntas, buscam desesperadamente se encontrar.

Resenha: Oi, galerinha! Faz uns dias que li esse livro, aí aguardei um pouco pra absorver a história e trazer a resenha pra vocês.

Uma dica que guardei pra mim na minha vida de leitora: Não crie expectativas com base na opinião dos outros. Pois, às vezes certo alguém pode amar o livro e o mesmo pode não significar tanto assim pra você.

Foi exatamente isso que aconteceu comigo. Faço parte de um grupo no facebook onde várias mulheres e alguns homens postam fotos e comentários sobre os livros. Esse livro da autora brasileira Bianca Briones era muito bem falado por todos. Muitas diziam que choraram porque a história era linda e emocionante.

- Acho que perdi a tal batida. Não, perdi várias. Perdi todas. Não sou mais nada se seu coração não estiver aqui, batendo comigo.

Eu realmente não sei como explicar pra vocês, mas vamos do início.

Viviane acabou de perder seu pai para o câncer. Sua mãe está em depressão desde então e ela se vê responsável por sua vida e a de seu irmão, Rodrigo. Logo na saída do hospital, vê Rafael pela primeira vez. Também abalado pela morte de quatro pessoas de sua família.

Rafael fica responsável por seu primo Lucas que perdeu quase a família toda no acidente. Após esse primeiro encontro, Rafael e Viviane acabam se reencontrando na saída do grupo de apoio ao qual Viviane, Rodrigo e Lucas fazem parte. Nesse momento nós vemos o famoso "odeio" meu futuro amor. Isso têm ocorrido em 90% dos livros recentemente lançados, o que é, de certa forma, chato. Lucas e Rodrigo se tornam amigos, aproximando, mesmo que aos poucos, Viviane e Rafael.

Pela quantidade de páginas, tudo poderia continuar lento no início do relacionamento deles. Mas, depois de apenas uns quatro "encontros" eles se vêem loucamente apaixonados um pelo outro. Isso foi muito frustrante. Já morriam de amores, ao ponto de se virar contra todos, largar os velhos hábitos ruins. Foi um impacto muito rápido e desnecessário, pois a relação deles poderia ter sido melhor construída com a fase da conquista.

- Eu te amo, Vivi. Eu te amo tanto, tanto, tanto...

É a partir de então que as coisas ficam "complicadas" para os dois. Mas, mesmo assim, Vivi continua lado-a-lado de Rafa, indo contra boa parte de sua família e mesmo com seus problemas ela o apoia sem nunca de fato cair.

Mas, quase no final, de uma página para outra, a personagem se transformou em um alguém completamente diferente. Deixou de ser a garota delicada e amorosa a qual conhecemos no decorrer do livro. Depois de tudo o que passou com Rafa, quando ele mais precisa dela; ela se vai.

Ela não deixa de se importar, como podemos ver em suas passagens, mas ainda assim - para mim - fica indiferente.

Os capítulos dos livros se invertem nas versões de Rafa e Vivi, o que me confundiu um pouco, já que os capítulos são muito curtos, quando a coisa começa a esquentar, a autora esfria completamente com o término abrupto do capítulo. Isso também retirou o famoso prólogo e epílogo do livro, e deu a impressão de um final muito rápido e - novamente - abrupto. A cada capítulo continha trechos de distintas músicas que se encaixavam divinamente com as passagens daqueles capítulos.
- Eu não consigo ficar longe de você, mas ficaria, se você me pedisse.
Eu não me apaixonei pelo casal e nem pelo Rafael - como ocorre com outros livros. Não consegui torcer por eles e nem chorar com eles. Apesar de ter ficado arrepiada quando o significado dos livros vieram a tona.

Devo salientar que gostava mais das participações de Branca - prima da Vivi -  que do casal em si. E meu personagem preferido é o Rodrigo. Mesmo após tanto sofrimento ele é muito gentil não só com as pessoas de sua família, como com seus próximos. Sempre gasta seu dinheiro tentando ajudar quem precisa, o que eu achei muito bonito. E também, depois da vida lhe dar alguns empurrões, ele continua divertido e fazendo muitos rirem, mesmo em momentos em que aquilo poderia ser impossível.

"As Batidas Perdidas do Coração" será uma série com as histórias dos casais, e o próximo - muito provavelmente - será de Bernardo, o primo fofo de Vivi que provoca muitos ciúmes no Rafa.

Concluindo: O livro de fato é bom, merece ser lido e conhecido por muitas leitoras brasileiras, pois devemos apreciar as escritas de nosso país. Antes de começar a ler, apoiei-me em muitas expectativas sobre o livro e acabei perdendo-as por completo. Ele não me emocionou muito e nem me arrancou suspiros, infelizmente.

E aí, alguém já leu? Deixem a opinião de vocês nos comentários!

Por: Jé Silva.


0 comentários:

Deixe seu comentário