Resenha: Charlotte Street | Danny Wallace

Título: Charlotte Street
Autor: Danny Wallace
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 400
Classificação: 
Sinopse: Tudo começa com uma garota. Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo. E agora Jason - ex-namorado, escritor e herói relutante - se depara com um dilema. Deveria tentar seguir A Garota? E se ela for A garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder.





                                                 – Resenha –


“Eu estava parado na esquina da Charlotte Street quando tudo aconteceu.  Acho que eram seis horas, e uma garota — é, porque você e eu sabemos que tem uma garota; tinha que ter uma garota; sempre tem uma garota!”
(Jason Priestley)

         Sabe aquele livro que você se encanta pela capa? Com Charlotte Street foi assim. Quando vi o Big Ben e o Rio Tamisa estampados naquela capa eu sabia que seria um livro promissor.

         Li o primeiro capítulo naqueles folhetos promocionais que ficam nos caixas das livrarias. Não encontrei o livro depois para comprar, mas aquele capítulo não saía da minha cabeça. Até que uma amiga um dia me enviou a lista de livros que ela estava se desfazendo e ele estava entre eles!

Lógico que comecei a ler avidamente!

         O livro é narrado em primeira pessoa e o protagonista, Jason Priestley, é do tipo que conversa intensamente com o leitor (o que me agrada bastante). Ele literalmente se auto intitula seu amigo e você logo embarca na sua louca aventura.
        
         Como ele mesmo nos adianta, tudo começa com uma garota. Uma garota bastante atrapalhada no meio fio em um fim de tarde. Ela tenta, desajeitadamente, entrar em um taxi com suas centenas de sacolas e pacotes, até que deixa seu cacto (what???) cair no chão. Jason está passando por perto, mas como qualquer outro londrino desatento ele poderia apenas passar direto, mas não. Ele para e decide ajudá-la.

         Após entregá-la o cacto ela entra apressada no taxi e apenas sussurra um “Obrigada”. Mas Jason, o aspirante a jornalista e resenhista de filmes ruins, viu nesse momento um algo a mais...

         Para Jason aquela despedida minimalista em um fim de tarde qualquer em meio à Charlotte Street era o prenúncio de um começo. Agora, de quê ele não sabia.

         Mesmo depois de todos os seus esforços para enfiar tudo dentro do táxi, ao arrancar com o carro Jason avistou um pequeno pacote de plástico caído no chão, uma Câmera Descartável 35 mm. Ele tenta alcançá-la, mas o táxi já está longe e aquele pacote se torna seu sapatinho de cristal.

         Acontece que a vida de Jason Priestley andava uma verdadeira bagunça. Após pedir demissão do colégio em que trabalhava para correr atrás de uma carreira de verdade (sem sucesso) e ser deixado pela namorada, as coisas em sua vida estavam sem sentido. Ele dividia o apartamento com o melhor amigo, em cima da sua loja de Vídeo Games e beber era um de seus grandes passatempos.

         Quando no dia seguinte Jason reencontra a garota dos pacotes na mesma rua, ele fica estático. Ele poderia ter corrido um pouco e chegado até ela, a câmera ainda estava em seu bolso, mas não conseguiu se mexer. Só podia ser um sinal. Duas vezes seguidas no mesmo lugar só poderia querer dizer alguma coisa. Algo que ele estava empenhado em descobrir.

         Sua nova obsessão tornou-se reencontrar a garota e o primeiro passo seria revelar as fotos que continham naquela Câmera Descartável. Com as fotos em mãos, Jason e seu amigo Dev resolvem analisar minuciosamente as imagens, imaginando as cenas por detrás do momento capturado e depois reproduzir, indo até os locais que aparecem nas fotos em uma tentativa mirabolante de encontrá-la.

         Que louco seguiria pistas tão inconsistentes como essas? Somente alguém muito determinado a “agarrar o seu momento” e encontrar o “algo a mais” que falta em sua vida.


Boa leitura!      

2 comentários:

  1. Oi Natasha,
    Que lindo!!! Eu não conhecia a história desta obra... e me encantei com sua resenha! E pior: eu tenho o livro e nunca dei valor... acho que vou tornar a minha próxima leitura... fiquei super curiosa para saber o desfecho dessa história *-*

    Beijinhos
    Lylu - Menina Lylu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lylu!

      Que bom! Leia sim,tenho certeza de que vai gostar =)

      Beijos.

      Excluir