Resenha : Fala sério , Mãe | Thalita Rebouças


Título: Fala Sério, Mãe!
Autor: Thalita Rebouças
Editora: Rocco
Série: Fala Sério!
Número de páginas: 172
Classificação:
Sinopse: Que ser mãe é padecer no paraíso a sabedoria popular já tratou de espalhar para todo o mundo. Mas... e quanto aos filhos? Será que não vivem lá o seu quinhão de martírio nessa relação.
Em 'Fala sério, mãe!', a autora Thalita Rebouças, com seu bom humor, apresenta os dois lados da moeda. Ao longo do livro são descritas as queixas e alegrias da mãe coruja, e um tantinho estressada, Ângela Cristina, em relação à filha primogênita Maria de Lourdes, a Malu, assim como as teimosias e o sentimento de opressão desta em função dos cuidados, muitas vezes excessivos, de sua genitor.
Para retratar os dois pontos de vista, a autora lança mão do seguinte expediente - a primeira parte do livro, da gestação de Maria de Lourdes até seus treze anos, é narrada pela mãe, que, então, passa a palavra à filha de uma forma bastante inteligente e sensível.





                                                 – Resenha –

“- Mãe! Se você queria me irritar, parabéns, conseguiu, não precisa mais se esforçar.- A verdade dói, eu sei, filha. No seu caso, a verdade pesa. Mas se eu não te disser a verdade quem vai dizer? Duvido que alguma amiga sua tenha coragem de falar que você está parecendo um hipopótamo de saia.- Fala sério, mãe!- Um filhote de hipopótamo, Maria de Lourdes!”

Pintou momento nostalgia! Sabe qual é a melhor parte de ler leitora voraz desde que se entende por gente? Uma vez ou outra você relembra umas leituras de infância/adolescência que te fazem voltar no tempo. Não apenas lembrar-se da história do livro, mas da sua própria no período da sua vida em que você estava lendo-o.

Aí é que você sente os anos pesando, quanta coisa aconteceu na sua vida, como muitos dos seus pensamentos e opiniões mudaram, e as experiências te fizeram entender tanta coisa que antes não passavam de ideias de verdade... A água rolou embaixo da ponte da nossa vida e o amadurecimento foi inevitável.

Pegar nesse livro novamente, guardado dentre tantos que compuseram um momento delicioso da minha vida foi emocionante. Me fez lembrar da menininha quieta que vivia escondida atrás do livro em qualquer canto que ia e era motivo de orgulho da mamãe. Não que isso tenha mudado (ou que eu tenha realmente crescido muito em altura...), mas as responsabilidades chegam, as prioridades mudam e nem sempre temos tempo para nos entregar a esse prazer da leitura recreativa. Ainda bem que eu aproveitei muito enquanto podia =)

Fala sério, mãe! em uma única palavra é um livro encantador. Mas também impossível de descrever corretamente em apenas uma. É bonito, cheio de amor, engraçado de rir até doer a barriga, reflexivo e uma tradução impressionante da relação mãe e filha.

Nesse livro, qualquer filha será capaz de enxergar um traço de sua mãe, assim como o contrário. Os temas são incrivelmente próximos à nossa realidade e nos pegamos comparando a nossa própria relação com a nossa mãe (ou filha/o, se você tiver). E não é que é tudo igual? Mãe é tudo igual mesmo. Mas filhos também são. E graças a Deus por isso, porque o que seria de nós sem elas, né? Taí, não seríamos.

A primeira parte do livro, de Na barriga até 12 anos, é narrada pela Dona Angela Cristina, a mãe. E a segunda parte, de 13 anos até 21 anos, quem assume a fala é Maria de Lourdes (mas chame de Malu, pelo amor de Deus!), a filha. Desta maneira, enxergamos ambos os lados dessa relação mágica, conturbada, cômica e cheia de altos e baixos.

Um dos capítulos que mais me emociona (até hoje) é o primeiro: Na barriga. Afinal, tem coisa mais bonita do que esse momento íntimo em que mãe e filho são um único corpo? Enquanto estamos lá dentro, está tudo certo. Depois que ganhamos o mundo é que o bicho pega...

A autora, que se revelou espirituosa e dona de um grande talento, aborda questões corriqueiras com muita leveza e carisma, como, por exemplo, as nossas fatídicas primeiras vezes: as primeiras palavras, o primeiro dia na escola, a primeira bicicleta, o primeiro amor, o primeiro beijo, a primeira transa, a primeira viagem... e assim por diante.

Afinal, mais uma vez, o que seria de nós sem a mamãe para nos guiar e orientar diante de tanta coisa nova?

Enfim, se você for uma adolescente, leia, pois acredito de verdade que esta é uma leitura obrigatória para a vida. Se não, leia também. Porque, apesar de ser um livro infanto-juvenil, a história é igualmente deliciosa lida em qualquer faixa etária.


Boa leitura e boas risadas!

3 comentários:

  1. Ficou lindo! Vou procurar o livro para dar a minha irmã e dar uma espiada eu mesma também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariane!

      Sim, o livro é uma fofura. Assim como toda a série! Super recomendo.

      Beijos.

      Excluir
  2. amei amei amei..vou procura esse livro,e soube que vai ter o filme..to animada pra ver tanto o livro quanto o filme!!!se for possivel me ajuda a participa da votação do meu blog
    http://blogdalari20.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir